PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Governo de SP anuncia ampliação dos testes da CoronaVac com apoio da Anvisa

Governador de São Paulo, João Doria, segura caixa da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Sinovac em parceira com o Instituto Butantan - AMANDA PEROBELLI
Governador de São Paulo, João Doria, segura caixa da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Sinovac em parceira com o Instituto Butantan Imagem: AMANDA PEROBELLI

Lucas Borges Teixeira, Patrick Mesquita e Rafael Bragança

Do VivaBem, em São Paulo

25/09/2020 13h08

O governo de São Paulo anunciou hoje que os testes clínicos da CoronaVac serão ampliados para mais quatro centros de pesquisas. A vacina, desenvolvida e testada pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, está em estudos de fase 3, que analisam a eficácia do imunizante contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Segundo anúncio feito pelo governador João Doria (PSDB-SP) durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, a CoronaVac teve o apoio da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para começar novos testes nas cidades de Barretos (SP), Pelotas (RS), Cuiabá e Campo Grande.

"Lembrando que a vacina do Butantan, a CoronaVac, juntamente com o laboratório Sinovac, já vem sendo testada em 12 centros de excelência em cinco estados, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e no Paraná", disse Doria.

Dimas Covas, diretor do Butantan, explicou que a ampliação dos testes aumentará o número de voluntários envolvidos nos testes clínicos no Brasil de 9 mil para 13 mil. Com isso, é esperado que haja uma aceleração do processo de aprovação e registro da CoronaVac pela Anvisa.

"Esses centros vão acelerar a realização desse estudo de fase 3. E importante, essa ampliação ajuda na obtenção dos resultados", afirmou Dimas Covas. Na última atualização do Butantan, 6.000 voluntários já haviam sido vacinados.

O governo de São Paulo e o Butantan seguem confiantes na previsão do início da vacinação com a CoronaVac em dezembro. A partir de 15 de outubro, os testes clínicos de eficácia já poderão começar a serem avaliados.

"Dentro do nosso planejamento, teremos esse resultado (dos testes de fase 3) antes do final do ano, e (a vacina) disponível para ser utilizada em dezembro", afirmou Dimas Covas.

Visita à fábrica chinesa

Para acelerar ainda mais o processo de liberação do registro da CoronaVac na Anvisa, o Butantan espera que a agência brasileira possa fazer uma visita à nova fábrica da Sinovac em Pequim, construída para ajudar na fabricação do imunizante contra o coronavírus.

"A Anvisa poderá visitar as instalações dessa fábrica e, se houver um entendimento da nossa Anvisa com a Anvisa chinesa, isso poderá até ocorrer virtualmente", disse Dimas Covas. Segundo ele, a Sinovac disponibilizará o acesso a partir de 20 de outubro.

"A Anvisa está sendo extremamente cooperativa também no sentido de agilizar todos os trâmites anteriores ao registro, daí nossa grande expectativa de termos essa vacina até o final desse ano", concluiu o diretor do Butantan.

Saúde