PUBLICIDADE

Topo

Pergunte ao VivaBem

Os melhores especialistas tiram suas dúvidas de saúde


Pergunte ao VivaBem

Posso tomar banho depois de me expor ao sol para absorver vitamina D?

Daniel Navas

Colaboração para o VivaBem

15/09/2020 04h00

Sim. A vitamina D não é produzida na parte superficial da pele. Os raios UVB (ultravioletas B) penetram em camadas mais profundas da epiderme e é aí que ocorre a conversão do nutriente no organismo. Essa crença existe, porque como a vitamina D3 é lipossolúvel, discute-se que tomar banho logo após a exposição ao sol poderia afetar a absorção, já que a água retira a gordura natural da pele. Mas é mito! Pode tomar uma ducha depois do sol sem medo disso reduzir os níveis da substância no corpo.

Por outro lado, para obter bons resultados de vitamina D no organismo, é preciso que a exposição solar seja feita sem nenhum tipo de proteção, como o uso de bloqueadores ou tecidos, por exemplo. Alguns especialistas indicam que braços e pernas estejam expostos no horário em que a incidência de raios solares é maior: entre 10h e 16h. No entanto, não pode ser por muito tempo, já que os raios UV também podem causar desenvolvimento de câncer de pele.

Por isso, para adultos saudáveis de pele branca, é importante não ultrapassar a recomendação de 15 a 20 minutos de banho de sol, três vezes por semana. Para quem tem a pele negra, o tempo é um pouco maior conforme a quantidade de melanina presente, que dificulta a absorção dos raios UV. Mas o ideal é sempre conversar com seu dermatologista antes dessa prática, para ver a melhor orientação para o seu caso.

Para as pessoas que têm algum histórico familiar da doença, ou até mesmo não conseguem ter essa rotina, a alimentação e a suplementação vitamínica podem ser as melhores soluções para manter os níveis de vitamina D regulares. Claro que para isso é preciso procurar um especialista que irá realizar exames e ver as necessidades individuais. No caso do cardápio, alguns alimentos como salmão selvagem, sardinhas e atum em conserva, óleo de fígado de bacalhau, gema de ovo e cogumelos podem ajudar no fornecimento de uma parte dos níveis diários da substância.

Fontes: André Braz, dermatologista e professor de cosmiatria do serviço de dermatologia da Policlínica Geral do Rio de Janeiro; Fabiana Seidl, dermatologista, especialista em clínica médica e membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia); Francisco Bandeira, professor associado e livre-docente, regente da disciplina de endocrinologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Pernambuco e membro da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia); Jacqueline Rizzoli, médica endocrinologista e diretora da ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), médica do Centro de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital São Lucas, da PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul); e Juliana Toma, dermatologista pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Quais são suas principais dúvidas sobre saúde do corpo e da mente? Mande um email para pergunteaovivabem@uol.com.br. Toda semana, os melhores especialistas respondem aqui no VivaBem.

Pergunte ao VivaBem