PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

HIV e covid-19: momento é oportuno para aprendizados sobre a saúde

iStock
Imagem: iStock

Da Unaids

13/09/2020 11h06

Um novo relatório do Unaids mostra como os países que lutam contra a covid-19 estão usando a experiência e a infraestrutura da resposta à aids para garantir uma resposta mais robusta a ambas as pandemias. "Covid-19 e HIV: 1 momento, 2 epidemias, 3 oportunidades —como aproveitar o momento para aprender, alavancar e construir um novo caminho para a saúde e direitos de todas as pessoas" mostra que, ao identificar as mudanças dinâmicas necessárias, podem ser encontrados sistemas que são eficazes, inclusivos, equitativos e com recursos suficientes.

"Dadas as dimensões épicas da emergência, o mundo precisa de unidade e solidariedade", disse o Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres. "Nossa luta de décadas contra o HIV oferece lições essenciais. Seguindo essas lições e trabalhando juntos, podemos garantir que as respostas nacionais de saúde cumpram a promessa da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável e a saúde e o bem-estar de todas as pessoas."

As três oportunidades destacadas no relatório são:

  • Que as principais lições aprendidas com a resposta ao HIV devem se comunicar com as respostas à Covid-19;
  • Como a infraestrutura da resposta ao HIV já está impulsionando as respostas à Covid-19 e tem o potencial de catalisar o progresso acelerado;
  • Como as respostas à Covid-19 e ao HIV oferecem uma oportunidade histórica de construir uma ponte para sistemas de saúde adaptáveis e orientados para resultados que funcionem para as pessoas.

"Esta é uma oportunidade única de reimaginar os sistemas de saúde", disse Winnie Byanyima, diretora executiva do Unaids. "Todos os olhos estão voltados para a saúde, os sistemas de saúde e os cuidados de saúde, com o desejo dos países de estarem bem equipados para lidar não apenas com a covid-19, mas também para criar sociedades mais saudáveis e resilientes. Podemos aproveitar esta oportunidade aprendendo com o HIV e com a covid-19 para fazer mudanças importantes para desenvolver sistemas de saúde baseados em direitos, equitativos e centrados nas pessoas."

O relatório destaca como a resposta ao HIV pode ajudar a impulsionar uma resposta acelerada à Covid-19 de maneiras que podem colaborar para garantir que tais esforços não ocorram às custas da resposta ao HIV ou de outras prioridades essenciais de saúde. Ao mesmo tempo em que o mundo empreende esforços focados para desacelerar a disseminação de Covid-19, também deve redobrar os esforços para limitar qualquer interrupção e promover a recuperação rápida dos serviços relacionados ao HIV, incluindo a garantia de suprimentos ininterruptos de produtos e tecnologias essenciais para o HIV e outras prioridades globais de saúde.

"A covid-19 causou perdas significativas de vidas em muitas comunidades, mas principalmente naquelas onde as desigualdades tornam as pessoas mais vulneráveis a problemas de saúde. O aproveitamento da infraestrutura e da força de trabalho do HIV ajudou a mitigar o que poderia ter sido uma situação muito pior", disse José M. Zuniga, Presidente/CEO da International Association of Providers of Aids Care (Associação Internacional de Provedores de Cuidados com a Aids, na tradução livre para o português). "No entanto, com os gastos atuais com HIV substancialmente fora do caminho, o mundo precisa urgentemente aumentar os investimentos nas respostas ao HIV e à covid-19 e não desviar de uma epidemia para responder à outra."

A infraestrutura extensa, dinâmica e ágil que foi construída em torno da resposta ao HIV está sendo aproveitada de várias maneiras para ajudar na resposta ao covid-19 e inclui a entrega de serviços inovadores liderados pela comunidade. Por exemplo, 280.000 novas pessoas profissionais de saúde treinadas pelo Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para Alívio da Aids (PEPFAR) estão atualmente auxiliando como primeiros respondentes à covid-19 em muitos países de baixa e média renda. Além disso, 17 centros de referência de tratamento de HIV em Marrocos estão agora funcionando como a primeira linha para serviços de tratamento de covid-19. A Housing Works, ONG que atua com pessoas que vivem com HIV ou aids, abriu dois abrigos na cidade de Nova York especificamente para pessoas sem-teto que tiveram resultado positivo para a covid-19.

O relatório destaca que, embora diferentes em muitos aspectos, a covid-19 e o HIV compartilham características importantes e que, ao incorporar as lições aprendidas com o HIV, a resposta à covid-19 pode evitar muitos erros. Um elemento essencial é a adesão e liderança das comunidades. O ativismo comunitário acelerou a entrega de medicamentos para o HIV que salvam vidas, a vigilância comunitária alertou as autoridades sobre a falta de estoques de medicamentos perigosos e as comunidades prestaram serviços essenciais de testagem e tratamento de HIV de porta a porta, além de estarem liderando esforços para derrubar as leis punitivas que afastam dos serviços de saúde essenciais populações como homens gays e outros homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo e pessoas que usam drogas.

O relatório também mostra a importância de fundamentar firmemente as respostas de saúde nos direitos humanos e a necessidade de respostas transformadoras de gênero. Outras ações incluem o fortalecimento de sistemas de informação estratégica capazes de fornecer dados oportunos e precisos sobre a pandemia para identificar novos surtos e coordenação global, vontade política sustentada e uma resposta multissetorial.

Os sistemas de saúde do futuro devem ser preparados para enfrentar qualquer nova grande crise de saúde, sendo ágeis, orientados para resultados, inclusivos e centrados nas pessoas. A covid-19 e a resposta ao HIV devem ser usadas como uma oportunidade para repensar sistemas de saúde que funcionem para as pessoas, maximizar a eficiência e eficácia, atrair recursos suficientes e envolver as comunidades como parceiros essenciais para a saúde.

Saúde