PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

4 atitudes que nos ajudam a lidar com pessoas negativas

Pessoas negativas precisam ser confrontadas e também acolhidas, dizem especialistas - iStock
Pessoas negativas precisam ser confrontadas e também acolhidas, dizem especialistas Imagem: iStock

Danielle Sanches

Do VivaBem, em São Paulo

18/02/2020 04h00

Pessoas negativas estão sempre tentando colocar os outros para baixo. Seja de forma direta, com uma grosseria ou uma atitude agressiva; seja com conselhos mascarados de boas intenções ou críticas "amigas", essas pessoas não conseguem se controlar e estão sempre tentando espalhar o lado ruim da vida entre o seu círculo social.

Embora marcante, esse comportamento não é considerado um transtorno mental e sim um traço da personalidade. "Nós notamos isso porque, socialmente, alguns comportamentos indicam que essa pessoa tem uma visão mais pessimista sobre a vida", explica Natália Pavani, psicóloga do Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo.

Segundo ela, pessoas com um perfil controlador, que invadem o espaço alheio pois acreditam saber "o que é melhor" para elas; ou mesmo aquelas mais dramáticas, que sempre acreditam que têm um problema maior ou uma doença pior, geralmente costumam ter uma personalidade negativa.

Há ainda outros traços que indicam esse perfil. "Os pessimistas, derrotistas, que estão sempre mal-humorados e não se sentem gratos também podem ser considerados pessoas negativas", afirma o psiquiatra Rodrigo Leite, Rodrigo Martins Leite, coordenador dos Ambulatórios do Ipq do HCFMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo).

E, por mais que estejamos bem, ao lidarmos com pessoas assim, frequentemente nos sentimos drenados emocionalmente e podemos até acabar contaminados por esse pessimismo. E aí, como lidar com isso?

O primeiro ímpeto é o desejo de nos afastarmos —afinal, quem quer conviver com alguém que só nos coloca para baixo? Mas, se o convívio diário é necessário —no caso de um familiar ou colega de trabalho, por exemplo — algumas medidas podem ajudar a driblar esse negativismo e até melhorar a relação.

1. Mantenha distância emocional

Isso não significa ignorar o que a pessoa está dizendo, apenas utilizar um filtro para que as eventuais críticas e "conselhos" não atinjam você de forma direta. Uma boa forma de conseguir isso é ouvir o que elas têm a dizer e reconstruir a frase de forma positiva (dentro de si ou mesmo externalizando isso para a pessoa negativa em questão, dependendo da situação), mostrandopara você mesmo que aquilo pode ser dito de uma forma mais leve.

Se a invasão é grande, talvez seja bom também evitar dividir sonhos e planos para o futuro. "Compartilhe menos e, no caso de colegas de trabalho, fale apenas do que é necessário no escritório", explica Pavani.

Isso porque, segundo ela, é normal que pessoas negativas busquem se relacionar justamente com o seu oposto, ou seja, pessoas generosas e acolhedoras —que acabam virando um "saco de pancada" por meio de críticas e conselhos intrometidos.

2. Estabeleça limites —mas tente conversar

Seus sentimentos devem ser respeitados. Portanto, se a conversa está indo além dos limites e você sente-se pessoalmente ofendido ou atacado, o melhor a fazer é abrir o jogo e dizer de forma clara como se sente. "É preciso aprender a se proteger desse tipo de atitude, e a melhor forma é deixando claro que aquilo está invadindo o seu espaço e às vezes até se afastar", afirma Pavani.

Isso não significa, no entanto, dar as costas ao primeiro sinal de negativismo. Vale a pena tentar ter uma conversa franca, expondo situações em que aquele comportamento foi prejudicial e propondo novas formas de encarar a situação. "Se for um amigo, isso é ainda mais importante, pois alguém precisa mostrar a ele que a vida não precisa ser assim tão difícil", esclarece a psicóloga.

3. Mantenha a serenidade

Ninguém é obrigado a ser criticado o tempo todo sem dar uma resposta. No entanto, calibre esse feedback para que ele não venha carregado de raiva e frustração —justamente os sentimentos que essas pessoas conseguem despertar em nós facilmente. "Aprender a se proteger não significa atacar de volta. O correto é tentar conversar e convidar a pessoa a repensar aquele assunto", diz Pavani.

4. Respeite-se

Se, após algumas tentativas de conversar e expor o seu lado da situação, a pessoa continuar a ser negativa em relação a você; se você tem dificuldade em tolerar o comportamento dessa pessoa; e se as sugestões que ela dá fazem com que você se sinta desmotivado e menos alegre, significa que o convívio é bastante prejudicial para a sua saúde mental —e precisa ser repensado e, se possível, é melhor optar pelo afastamento.

Quando é hora de buscar ajuda?

Mau humor, fadiga, irritabilidade e insatisfação são sintomas comuns que encontramos em pessoas que consideramos negativas. Mas quem convive constantemente com esses sentimentos precisa buscar orientação médica, pois o quadro pode ser um sinal de algo mais grave.

A distimia, popularmente conhecida como "doença do mau humor", é classificada como um tipo de depressão —na verdade, um transtorno depressivo persistente. O diagnóstico envolve a avaliação de uma série de outros sintomas como alterações no apetite e no sono, dificuldade de concentração, ansiedade, angústia, baixa autoestima, falta de energia e cansaço.

No entanto, muitas pessoas demoram a buscar um médico porque acreditam que o mau humor é apenas uma característica de personalidade. "É importante procurar ajuda pois esse tipo de comportamento afasta as pessoas e atrapalha os relacionamentos", explica Rodrigo Leite.

O tratamento deve ser feito com acompanhamento profissional especializado e consiste no uso de antidepressivos e psicoterapia.

Equilíbrio