PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Falta de exercícios na adolescência prenuncia depressão na vida adulta

Os primeiros sintomas de depressão tendem a ocorrer durante a adolescência - iStock
Os primeiros sintomas de depressão tendem a ocorrer durante a adolescência Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

13/02/2020 17h17

Um estudo publicado no periódico The Lancet na terça-feira (11) encontrou associações entre atividade física, comportamento sedentário e sintomas depressivos em adolescentes.

Os pesquisadores da University College London descobriram que jovens de 12 a 16 anos que têm níveis altos de sedentarismo apresentaram um aumento de 8 a 11% nos riscos de ter depressão aos 18 anos ou mais. Exemplos de comportamento sedentário incluem navegar na web, tempo de tela em smartphones, jogar videogame, assistir televisão e ler.

A manutenção dos níveis de atividades físicas, entretanto, reduziu os sintomas depressivos. Já jovens que praticavam atividade moderada a alta com regularidade apresentaram escores mais baixos do transtorno mental.

No estudo, os autores explicaram que a atividade física pode influenciar os sintomas depressivos por meio de uma "variedade de mecanismos psicossociais e biológicos, como estimular a neuroplasticidade nas regiões cerebrais implicadas na depressão, reduzir a inflamação ou promover a autoestima".

Como o estudo foi feito

  • O estudo analisou 14.901 adolescentes por seis anos. Foram avaliados a cada dois anos informações sobre atividades físicas, que foram categorizadas como sedentárias, leves e moderadas a vigorosas. Os participantes usaram acelerômetros nos quadris por sete dias de cada vez para medir a quantidade e a intensidade de sua atividade física.
  • Sintomas depressivos também foram analisados a cada dois anos até que eles fizessem 18 anos.
  • Ao final da pesquisa, 4.257 jovens tiveram depressão aos 18 anos.
  • Os resultados também mostraram que o comportamento sedentário aumentou e a atividade leve diminuiu ao longo da adolescência, por motivos desconhecidos, os quais levaram a sintomas depressivos aos 18 anos ou mais.
  • Quanto maior o tempo gasto com comportamentos sedentários ou praticando atividade leve, maiores eram os escores de depressão.

Exercício e prevenção

Os cientistas afirmam que o exercício regular pode proteger o desenvolvimento da depressão. Em novembro do ano passado, um estudo feito pela OMS (Organização Mundial da Saúde) revelou que, no Brasil, 84% de jovens entre 11 e 17 anos não praticam uma hora diária de atividade física, conforme recomendação do órgão.

"É necessário adotar medidas regulatórias urgentes para aumentar a atividade física e, em particular, promover e manter a participação das meninas", diz Regina Guthold (OMS), autora do estudo.

Os dados do estudo atual sugeriram que uma redução de 2 horas no comportamento sedentário diário estava associada a uma redução de 16 a 22% nos escores de depressão aos 18 anos. "Para jovens com sintomas depressivos subclínicos, uma redução dessa magnitude pode ter um impacto substancial", concluíram os autores.

Equilíbrio