PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Mari e Gabi viram piada no BBB por causa de pum; o que causa mais gases?

Gabi e Mari cantando no BBB 20 - Reprodução/Globoplay
Gabi e Mari cantando no BBB 20 Imagem: Reprodução/Globoplay

Gabriela Ingrid

Do VivaBem, em São Paulo

12/02/2020 16h53

As participantes do BBB20 Mari Gonzalez e Gabi Martins viraram alvo de piada na casa por causa do cheiro de seus puns, na manhã desta quarta-feira (12). "Abriram um buraco na camada de ozônio. Se abrisse o olho, era catarata de primeiro grau", comentou a colega de confinamento Flayslane Raiane.

Segundo Gabi, é um defeito, mas ela não tem vergonha: "Que atire a primeira pedra quem não peida", gritou, arrancando risadas de Babu, que estava na sala.

A sister tem razão. É completamente normal soltar gases ao longo do dia (especialistas afirmam que em torno de 20 puns por dia é comum). Em geral, a quantidade e o cheiro variam de pessoa para pessoa, mas alguns fatores como a alimentação também afetam.

"Alimentos mais fermentativos, como alguns tipos de grãos e leguminosas, podem causar desconforto e maior produção de gases durante o processo digestivo", diz o gastroenterologista Alexandre de Sousa Carlos, médico assistente do departamento de gastroenterologia do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Além disso, a produção de gases durante a digestão é supernormal. Quando as bactérias do intestino fermentam os alimentos, esses gases acabam sendo liberados no processo. De acordo com o médico, no entanto, alguns alimentos têm maior potencial fermentativo, causando uma produção maior de puns.

É o caso do brócolis, couve-flor, carne e derivados do leite, que são ricos em enxofre. Carboidratos, como a batata-doce, também causam gases, e, claro, o feijão, outro clássico dos puns: como tem um tipo de carboidrato (rafinose), ele tende a aumentar a formação dos gases.

Dá para prevenir?

Como é um processo fisiológico normal, a produção de gases pelo intestino vai acontecer sempre (ao ingerir algum alimento, bebidas gaseificadas ou até mesmo o próprio ar). A questão é ficar atento ao próprio corpo para perceber se há sensibilidade para alguns alimentos específicos e, em caso positivo, reduzir o consumo.

No caso do feijão, por exemplo, é possível deixar os grãos de molho por 12 horas com uma mistura de água e uma colher de vinagre (descarte a água após o processo). Isso ajuda a reduzir a quantidade do componente que causa gases.

Fazer as refeições devagar e em um ambiente tranquilo também é importante. "Mastigar bem os alimentos evita a má digestão, um dos fatores que contribuem para a formação de gases", diz Clarissa Hiwatashi Fujiwara, nutricionista do Departamento de Nutrição da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica).

Segundo ela, não é preciso parar de consumir o alimento, e sim ingerir uma porção menor e ainda prestar atenção para não misturar em uma mesma refeição dois ou mais alimentos que possam causar gases em excesso.

Quando é sinal de algo mais sério?

A produção de gases é um processo fisiológico, ou seja, não há nada de anormal em produzir puns. O problema é quando há um excesso de flatulência, causando desconforto diário e muito incômodo.

Nesse caso, vale fazer uma investigação médica, já que algumas doenças podem causar gases em excesso. "Intolerâncias ao glúten e à lactose, parasitoses e até doenças inflamatórias podem estar por trás do problema", diz o especialista.

Neste caso, é possível tratar a condição com medicamentos próprios, acompanhamento nutricional e a inclusão de probióticos na dieta para reequilibrar a flora intestinal.

Informações de matérias publicadas nos dias 26/11/18 e 17/08/19.

Saúde