Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Cientistas desvendam como cérebro processa pensamentos abstratos

Participantes foram examinados enquanto pensavam em conceitos abstratos para que os pesquisadores entendessem melhor como eles são formados no cérebro - iStock
Participantes foram examinados enquanto pensavam em conceitos abstratos para que os pesquisadores entendessem melhor como eles são formados no cérebro Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

03/11/2019 09h36

Pesquisadores da Carnegie Mellon University utilizaram "machine learning" ("aprendizado de máquina", um dos ramos da inteligência artificial) para descobrir quais regiões do cérebro são acessadas quando formamos pensamentos envolvendo conceitos abstratos como fé, ética, justiça e felicidade.

Publicado no periódico Cerebral Cortex, o estudo descobriu que o cérebro tem uma espécie de sistema de indexação, bem semelhante ao catálogo de organização de uma biblioteca, para compor os significados desse tipo de pensamento.

A habilidade de construir conceitos abstratos sem uma "âncora" do mundo real (um objeto ou algo palpável, como acontece com a identificação de conceitos concretos, como martelo ou bola) é uma característica tipicamente humana e muito crucial no desenvolvimento científico e intelectual da humanidade.

De acordo com os pesquisadores, os pensamentos abstratos são construídos na mente em três dimensões: linguagem (pois precisamos entender o conceito primeiro para depois catalogá-lo); referência (que pode ter relação com o indivíduo ou causas externas); e, por fim, social (componente herdado das relações com outras pessoas).

No entanto, esses conceitos não têm um espaço dentro do cérebro destinado especificamente a eles (ao menos não de maneira óbvia). Além disso, a maior parte das informações que temos sobre como o cérebro processa pensamentos estão sempre relacionadas aos nossos cinco sentidos.

Outro obstáculo encontrado pelos cientistas nessa análise foi a dificuldade em descrever o ambiente em que esses pensamentos são gerados no cérebro, pois grande parte das ferramentas cerebrais para processá-los também é abstrata.

Como o estudo foi feito:

  • Os cientistas examinaram o cérebro de nove participantes utilizando uma máquina de ressonância magnética funcional;
  • Cada um deles foi exposto a uma representação visual de um total de 28 conceitos abstratos, como probabilidade, gravidade, força, fofoca, felicidade, ética, verdade e espiritualidade;
  • Os indivíduos deveriam pensar sobre aquela ideia por cerca de três segundos;
  • A equipe então examinou os dados utilizando "machine learning" para identificar os padrões neurais envolvidos na formação dos conceitos apresentados;
  • Eles então aplicaram um algoritmo de alta precisão para identificar corretamente cada conceito;
  • Os pesquisadores conseguiram então identificar padrões neurais semelhantes para cada conceito apresentado.

Por que isso é importante?

Os psicólogos autores do estudo ficaram surpresos de notar que os conceitos abstratos eram interpretados de forma neural semelhante em todos os pacientes, independente da história de vida ou construções sociais que ela tivesse.

Os cientistas não querem que o estudo seja conhecido como "leitura de mentes", pois acreditam que isso seria precipitado. Mas acreditam que tenham identificado alguns elementos que do sistema de indexação do cérebro.

Podcasts do UOL
Ouça o podcast Maratona, em que especialistas e corredores falam sobre corrida. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi publicado, os autores do estudo são psicólogos, não médicos. A informação já foi corrigida no texto.

Equilíbrio