Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Anvisa suspende importação de ranitidina produzida por laboratório indiano

Medicamentos com ranitidina são comumente usados para combater azia e úlceras estomacais - iStock
Medicamentos com ranitidina são comumente usados para combater azia e úlceras estomacais Imagem: iStock

Do VivaBem

27/09/2019 13h32Atualizada em 27/09/2019 20h17

Após a detecção da impureza chamada N-nitrosodimetilamina (NDMA), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não permitirá que indústrias de remédios no Brasil importem, usem e comercializem medicamentos com a substância ranitidina fabricada pela Saraca Laboratories Limited, localizada na Índia.

A ação é preventiva, já que estudos em animais classificam a NDMA como um provável agente cancerígeno humano. A NDMA é uma nitrosamina, substância que pode ser encontrada na água e em alimentos, mas não é esperado que cause danos quando ingerida em níveis muito baixos.

Nos EUA, o FDA (Food and Drug Administration), agência responsável pela regulação de medicamentos, identificou níveis baixos de impurezas em medicamentos. No entanto, ainda não há uma definição do real risco desses produtos, já que as quantidades identificadas são pouco maiores do que as que podem ser encontradas em alimentos comuns.

Em comunicado ao VivaBem, a Anvisa explicou que está realizando um levantamento e questionou os laboratórios que possuem ranitidina registrada no Brasil, para saber se alguns deles utilizam a substância produzida pela Saraca Laboratories Limited. Caso sejam encontrados lotes que usam o insumo indiano, eles deverão ser suspensos.

Os pacientes que têm dúvida se o medicamento que usam são do laboratório indiano devem procurar orientação de seu médico ou farmacêutico. Segundo Sandra Beatriz Marion, professora de gastroenterologia da PUC-PR, como a ranitidina é vendida sem receita em muitos países, é preciso ficar atento principalmente com medicamentos comprados fora do Brasil.

Já Vanessa Prado, gastrocirurgiã do Hospital Nove de Julho e da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Aparelho Digestivo, explica que quem usa remédios fabricados por outros laboratórios não devem suspender a medicação sem orientação de um especialista.

"Um medicamento que foi produzido pelo laboratório indiano não provoca danos em um curto período. No entanto, a medicação com nitrosodimetilamina pode alterar células do organismo e causar um tipo de câncer no futuro", explica Prado.

A Anvisa afirma que continuará atuando para evitar nitrosaminas nos medicamentos e atuará com seus parceiros internacionais para proteger a saúde dos pacientes, com a adoção de medidas efetivas para impedir que essas impurezas estejam presentes nos medicamentos.

(Com informações da Ascom/Anvisa)

Saúde