Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

4 dicas para impor mais limites nas suas relações

iStock
Imagem: iStock

Diego Garcia

Colaboração para o VivaBem

02/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Estabelecer limites é essencial para manter relações saudáveis. Conhecer-se e saber quais são seus limites é o primeiro passo
  • A comunicação externa é reflexo do seu interior, por isso, é fundamental você ter seus limites bem firmes internamente
  • Dar limites significa aprender a dizer não, sem medos ou receios de perdas. Além de ser libertador, te afasta de relações tóxicas

Você já deve ter ouvido a frase: "seu espaço termina quando começa o do outro". Isso quer dizer que temos os nossos limites e temos de respeitar os limites alheios. Na prática, porém, muitas vezes nós acabamos por não deixar implícito até onde o outro ou uma situação pode chegar. Isso tende a ocasionar uma série de sensações como estresse, raiva, ansiedade, medo e angústia, até problemas físicos e mais sérios, como a depressão.

Uma relação que não impõe limites tende a tornar-se tóxica. Existe um traço de personalidade chamado amabilidade/socialização, que é um dos 5 fatores de personalidade (os outros são abertura para experiências, extroversão, conscenciosidade e neuroticismo). Pessoas com elevada amabilidade tendem a ser afáveis, fazer as vontades dos outros. Mas, correm o risco de que a outra pessoa abuse dessa disposição em ajudar.

Mas, como saber quando colocar limite em algum momento? Toda vez que, em uma situação, você se sentir incomodado ou invadido. É necessário saber quais são as suas necessidades e desejos, conhecer e delimitar até onde o outro pode ir e, depois, comunicá-lo. Muita gente, entretanto, não sabe como fazer isso, às vezes por receio ou medo de perder algo.

A comunicação externa tem muito a ver com o seu interior. Então, antes de impor os limites, de forma assertiva, é essencial que você se conheça e saiba o que te incomoda que os outros façam. Separamos algumas formas simples de você conseguir delimitar seu espaço e se sentir mais livre.

1. Busque o autoconhecimento

Se você é aquela que diz sempre sim, que está sempre de prontidão a fazer algo e até se desdobrar para o outro, tem uma hora que esse outro nem sabe mais qual é o seu limite. Por isso que é importante observar o quanto você pode fazer pelo outro, até quando tem uma troca e até quando você não consegue se colocar e por isso acaba fazendo o que o outro quer e como ele quer, você não consegue ter bem-estar.

Analise como você se comporta, do que você precisa, seus gostos, algumas atitudes que você teve quando se deixou ir além ou quando conseguiu colocar um limite, como você se comunica na relação, se doa, como você troca (amor, respeito e trabalho). Todas essas são formas de buscar o autoconhecimento.

2. Defina seus limites para você mesmo

Reconhecer seus próprios sentimentos, necessidades, desejos e sentimentos faz com que você consiga estabelecer limites instintivamente. Você pode observar, por exemplo, se uma pessoa está fazendo você se sentir mal (ou com raiva) ou dependente (ou impotente e pessimista), é o sinal que está na hora de agir, primeiro, com você mesmo. Reconheça também como e quando seus limites foram invadidos: lembrando de relações antigas, você pode identificar essas situações.

Depois de conseguir estabelecer seus limites é a hora de comunicá-los aos outros. Somente com seus limites interiorizados é que você conseguirá expô-los com firmeza.

3. Aprenda a dizer não

Muitas pessoas confundem ser educadas e gentis com fazer tudo que o outro quer ou pede. Educação não deve ser confundida com permitir que o outro invada e imponha ações que estão além do que você quer ou pode.

Você pode dizer não de várias formas, em todas as situações: sendo claro que chegou no seu limite, que isso ou aquilo você não fará porque não te faz bem, que tal situação te incomoda e por isso você vai evitar, etc. Dizer não é às vezes é difícil, mas o seu bem-estar e sua saúde devem estar em primeiro lugar, então, diga com educação e respeito ao outro, mas diga não.

4. Seja firme

Ao comunicar seus limites é importante ter firmeza e não ceder. Muitas vezes a gente não quer ter o incômodo de dizer não e acaba cedendo. Em relações mais duradouras, afetivas ou trabalhistas, a pessoa muitas vezes aprende que você cede com uma certa insistência, e isso faz com que elas abusem desse comportamento. Assim, é importante que ao dizer "não", esse não de fato signifique "não".

Claro, às vezes é importante ceder, ter flexibilidade para atender os desejos do outro. Mas não podemos nos esquecer que os nossos próprios desejos também precisam ser atendidos. A ideia é que, se houver firmeza na hora de impor um limite, a outra pessoa vai aprender que pressões não adiantam.

Também é importante a pessoa ter em mente que não perderá uma amizade por causa de uma negativa. Geralmente, as pessoas com dificuldade de impor limites se comportam assim por medo de um abandono. Mas pior que ser deixado sozinho é ficar rodeado de pessoas tóxicas.

Fontes: Denise Pará Diniz, psicóloga comportamental, professora e coordenadora do Setor de Gerenciamento de Estresse e Qualidade de Vida da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Vicente Cassep-Borges, professor de psicologia da Universidade Federal Fluminense (UFF).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Equilíbrio