Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Como recomeçar depois de um momento difícil? Veja 7 passos para ajudar

iStock
Imagem: iStock

Diego Garcia

Colaboração para o VivaBem

28/08/2019 04h00

A vida é cheia de encerramentos de ciclos e muitas vezes eles ocorrem de forma dolorosa: uma demissão, um término de relacionamento e até mesmo a perda de um ente querido podem parecer situações difíceis de sair. Esses momentos podem ser vivenciados com o que chamamos de luto e isso não tem necessariamente a ver com uma morte física.

O luto emocional do encerramento de um ciclo pode ter as fases de negação, raiva, barganha, depressão e aceitação como identificou a psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross. Em seu livro "A Roda da Vida", ela afirmou que não existe alegrias sem dificuldades e prazer sem dor e que em momentos em que não se vê saída em uma situação, há duas coisas possíveis de se fazer: cair no negativismo e procurar culpados ou seguir em frente e recomeçar.

Percalços existem e, embora possam causar muita angústia e sofrimento, podem também ajudar a evoluir e a encontrar saídas inusitadas para a vida. Em grau moderado uma crise pode ser uma possibilidade de crescimento, autoconhecimento e desenvolvimento de possibilidades criativas. Saber adaptar-se ao processo e assumir o protagonismo da situação é fundamental para superar com resiliência as situações problemáticas que acontecem com todos nós.

Se planejado e alinhado com o autoconhecimento e desejos pessoais, o recomeço pode trazer um excelente desencadear de emoções voltadas também para sensações relacionadas ao bem-estar e de dever cumprido. Veja algumas dicas para ajudar nesse momento:

1. Respeite o seu tempo

Cada pessoa leva um tempo diferente para recomeçar após um momento difícil, afinal somos seres feitos de subjetividade. Por isso é importante respeitar o seu tempo e suas necessidades. O autoconhecimento pode ser um bom aliado nessas horas, assim como evitar a comparação outras pessoas, afinal cada um precisa compreender seus ciclos de acordo com suas vivências e ritmo pessoal.

2. Permita-se analisar a situação

Carl Jung afirmou que, ao observamos um sintoma, mais importante do que perguntar "por quê?", deve-se questionar "para que?" ou melhor "com qual finalidade tal situação está na minha vida?". E nesse sentido olhar para o próprio potencial e seus recursos criativos se faz necessário. Elisabeth Kübler-Ross escreveu: "Quando aprendemos a lição, a dor se vai".

3. Liberte-se das culpas

Quando uma situação difícil acontece, é normal ficarmos carregando conosco culpas e sentimentos negativos, mas isso só faz com que a situação dolorosa se amplie e o paralise a tomar atitudes para seguir em frente. Permita-se não carregar as dores do seu passado para o presente. Por mais dolorosos que sejam fatos ou situações, eles já ocorreram e não faz mais parte do hoje. Deixar esses sentimentos pode fazer você recomeçar mais forte e confiante.

4. Seja o protagonista do seu processo

O ser humano tem a capacidade de ser flexível, mas, pelo ritmo frenético do dia a dia, nem sempre temos tempo de nos adaptar aos acontecimentos e muitas vezes nem nos damos conta disso. Assumir o protagonismo da adaptação a um fato ou a uma situação nos possibilita ferramentas para racionalizar e agir frente a uma situação ruim e que tende a nos paralisar.

5. Olhe para seu interior

Olhar para si mesmo traz ferramentas importantes para enfrentar uma situação mais difícil. Para conseguir sair dessa mais forte e com aprendizados, é importante olhar para esses recursos criativos muitas vezes inexplorados. A ponte para esta comunicação é a linguagem simbólica. Há pessoas que têm facilidade para ter insights criativos, mas muitas vezes se faz necessária a ajuda de um psicólogo para compreender e trazer a consciência estes recursos que muitas vezes são desconhecidos ao indivíduo e que são as ferramentas para o enfrentamento de uma situação difícil.

6. Estabeleça objetivos e planos

Criar objetivos e perspectivas para o futuro impulsiona e é fundamental para recomeçar. Mas, é importante ter em mente as razões que motivam você, seus ideais e convicções pessoais. Isso vai ajudar você na tomada de decisões e a adaptar-se melhor às situações boas ou ruins, assim como ter a clareza dos motivos que você tem para recomeçar.

7. Busque ajuda

Se você estiver passando por uma situação difícil e está com uma desesperança avassaladora e que o imobiliza, de forma que você não consegue encontrar sozinho saídas e possibilidades para lidar e enfrentá-la, procure ajuda de um profissional de saúde. Além de auxiliar nos processos de encerramentos de ciclos ou em como lidarmos com situações-problema, vai ajudar a se autoconhecer e contribuir com o alívio de sintomas como ansiedade, tristeza e medo, promovendo mais qualidade de vida emocional.

Fontes: Sigmar Malvezzi, psicólogo, professor do Instituto de Psicologia da USP (Universidade de São Paulo); Ana Catarina Araújo Elias, psicóloga e professora de psicologia na Unip (Universidade Paulista) e Suzane Guedes Xisto dos Santos, psicóloga clínica.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Equilíbrio