Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

São Paulo tem 484 casos de sarampo confirmados em 2019

 Dia D de vacinação contra sarampo para intensificar a adesão à campanha em cidades da Grande São Paulo acontece hoje (20) - lolostock/iStock
Dia D de vacinação contra sarampo para intensificar a adesão à campanha em cidades da Grande São Paulo acontece hoje (20) Imagem: lolostock/iStock

Camila Maciel

Da Agência Brasil

20/07/2019 11h44

O estado de São Paulo teve confirmados 484 casos de sarampo em 2019, segundo balanço divulgado ontem (19) pela Secretaria Estadual de Saúde. Desse total, 75% estão na capital paulista, com 363 ocorrências. Em seguida está Santos com 23 registros da doença. O balanço anterior, de 16 de julho, indicava 384 casos no estado, sendo 70% na cidade de São Paulo.

Hoje (20), ocorre mais um Dia D de vacinação contra sarampo para intensificar a adesão à campanha em cidades da Grande São Paulo, que vai até 16 de agosto. A imunização é destinada a jovens com idade de 15 a 29 anos, já que não viveram épocas de surto (e não estão naturalmente imunizados), e muitos não tomaram as duas doses da vacina ou não se lembram.

Vale ressaltar, no entanto, as duas doses da tríplice viral contam na sua carteira de vacinação, você não precisa ser imunizado novamente -- o efeito dura para a vida toda.

Na cidade de São Paulo, a campanha começou em 10 de junho e vacinou 150,6 mil pessoas. A meta é vacinar 2,9 milhões de pessoas na faixa etária indicada. Segundo a Secretaria de Saúde, embora representem aproximadamente 20% da população paulista, esses jovens respondem por cerca de metade dos casos do estado.

Foram registrados 36 casos em crianças com menos de 12 meses, o que equivale a 17,5% do total. Esse público tem a vacinação prevista no Programa Nacional de Imunizações (PNI), o qual prevê administração da tríplice viral com 1 ano, e um reforço aos 15 meses com a tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela).

Os profissionais de saúde das redes pública e privada também devem ser imunizados. A secretaria alerta que há contraindicação para gestantes e imunodeprimidos, como pessoas submetidas a tratamento de leucemia e pacientes oncológicos.

Dia "D"

A faixa etária definida para a campanha - 15 a 29 anos - é considerada a mais vulnerável a infecções devido a menor procura pela segunda dose da vacina, segundo informou o governo estadual. Não é necessário, a apresentação da carteira vacinal, pois a imunização será feita de forma indiscriminada nesse público.

A Secretaria de Saúde estendeu agora a campanha de vacinação para nove municípios da região metropolitana de São Paulo por causa da circulação do vírus: Barueri, Carapicuíba, Diadema, Mairiporã, Mauá, Santana de Parnaíba, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Taboão da Serra.

Em 11 de julho, a campanha teve início em Guarulhos, Osasco, São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul, que começaram a imunização no dia 11 de julho. Em São Paulo, ela ocorre desde 10 de junho. Com as ampliações, o público-alvo total é de 4,4 milhões de jovens nessa faixa etária.

Parcerias

A Secretaria de Saúde firmou parceria com a Secretaria de Transportes Metropolitanos para ampliar o alcance da campanha com a aplicação de doses em postos volantes instalados em estações do metrô, trens e terminais de ônibus. A programação será divulgada semanalmente no portal de notícias do governo.