Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Uma crítica pesada já te machucou? Veja como enfrentar essa situação

iStock
Imagem: iStock

Simone Cunha

Colaboração para o UOL VivaBem

28/06/2019 04h00

Resumo da notícia

  • O feedback negativo gera um misto de sentimentos como constrangimento, medo e raiva
  • Tornar-se mais resiliente depende muita da forma como se escuta e recebe a critica severa
  • Ouça e não associe negativamente suas capacidades e competências, sendo que não é momento para se diminuir

Nem o mais bem resolvido dos seres consegue manter-se firme após uma crítica, se for daquelas mais pesadas, piorou! O feedback negativo faz qualquer um dar uma titubeada e, na hora, ao ser pego de surpresa, um misto de sentimentos podem surgir como constrangimento, medo e raiva. O impacto pode ser muito nocivo transformando a crítica em um motivo para recuar, desmotivar e até alimentar traumas.

Portanto, se após uma crítica severa, a pessoa desenvolve medo, tristeza, abala sua confiança e sua autoestima, não dorme ou não se alimenta direito, se sente muito ameaçada, é importante buscar ajuda profissional para conseguir ressignificar o problema. Afinal, isso pode indicar que o indivíduo está entrando em um processo de estresse e precisa de apoio.

Claro que, ao longo da vida, muitos de nós já passamos por uma situação semelhante a essa, mas é preciso ter muito cuidado ao discernir a opinião alheia. "Não podemos apenas nos perceber pelo olhar do outro", avisa Denise Pará Diniz, psicóloga comportamental e coordenadora do setor de gerenciamento estresse e qualidade de vida da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Na prática, dificilmente estamos prontos para um feedback negativo, e esse episódio inesperado provoca certo atordoamento. "Esse é um momento importante que exige algum tipo de mudança, por isso é fundamental analisar como irá se adaptar a isso, mas sem abrir mão de seus próprios valores e crenças", completa a especialista. O desafio é justamente encontrar esse meio termo e, para conseguir tal proeza, é essencial aprender a ser mais resiliente.

Faça do limão uma limonada!

O ditado é velho, mas atemporal. E aqui a dica não é dar de ombros para a crítica recebida, mas transformá-la em algo proveitoso. Manter a flexibilidade em um momento como este é uma oportunidade de crescimento. "A crítica pode ensinar a pessoa a lidar melhor com as percepções do outro, ressignificar o que recebe, aceitando que cada um pode ter percepções diferentes, dar significados distintos do seu, não reconhecer e até reprovar algo em você", fala Diniz. E o grande aprendizado é não colocar expectativa sobre o ocorrido, mas elaborar e tirar algum benefício desse episódio.

E para um feedback ruim nos tornar mais resilientes e nos ajudar a crescer diante das dificuldades, depende muita da forma como se escuta e recebe isso. "O importante é observar aquela situação e tentar buscar uma solução para resolver esse desafio, para sentir-se mais forte", comenta a psicóloga Claudia Puntel, professora e supervisora da pós-graduação em Gestalt-Terapia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ).

Ou seja, critica alguma deve paralisar ou provocar desejo de vingança, emoções que podem apenas atrapalhar. Ela deve mesmo servir de estímulo para possíveis correções, e se o tom agressivo for muito elevado, afaste-se! O respeito entre fala e escuta sempre deve prevalecer.

Passo a passo para enfrentar a situação

Essa não é uma tarefa fácil, por isso esse passo-a-passo pode ajudar a lidar melhor com a situação e tirar algum proveito dela.

1. Escute integralmente
Respire fundo e procure assimilar as informações que estão sendo colocadas. "A crítica pode nos fazer sentir ofendido, e o primeiro impulso é responder de forma mal-educada. Mas não confronte! Abra um espaço para reflexão, avalie qual seu papel naquele contexto, qual intenção da pessoa, pois nunca somos o dono da razão", diz a psicóloga Priscila Gasparini Fernandes, psicanalista com especialização em neuropsicologia e neuropsicanálise, com mestrado e doutorado pela Universidade de São Paulo (USP), também atende no Hospital Beneficência Portuguesa.

2. Não jogue o jogo do outro
Existem pessoas destruidoras, agressivas e competitivas, mas não caia nessa armadilha. Ouça e não associe negativamente suas capacidades e competências, sendo que não é momento para se diminuir. "Não migre emocionalmente de uma autoavaliação positiva para 'eu sou um fracassado', lembre-se que ali podem ter dicas boas e que vale interpretá-las", diz Diniz. Portanto, a crítica deve ser embasada para que a pessoa consiga se enxergar nela, assim fica mais fácil lidar com este instrumento de devolutiva que pode pontuar coisas ajudando a melhorar.

Para aliviar o momento de tensão, desconecte-se um pouco do que está sendo dito como se aquilo não fosse para você. Isso pode ajudar a não ter a obrigação de reagir naquele momento. Processar com calma é essencial para tirar melhor proveito da situação.

3. Sacuda a poeira!
Elabore, escute a si mesmo, pense a respeito. Deixe a emoção de lado, e reflita sobre os pontos positivos e negativos. Use essa crítica em seu favor, e não contra você! É natural errar, mas todos temos potencial para recuperar e melhorar. Por isso, é essencial focar na solução, sem melindres! A resiliência ajuda a enfrentar este tipo de episódio de forma mais amena, menos traumática.

4. Corrija o que for preciso
Passado o turbilhão, procure crescer diante do problema. Nada melhor que uma atitude correta para provar que realmente assimilou e resolveu a questão. E lembre-se: a vida são altos e baixos, e todos temos pontos positivos e negativos, e devemos aprender a lidar com eles de forma sensata. Isso ajuda a enfrentar melhor as críticas, mesmo aquelas mais severas. O processo de autoconhecimento é fundamental para alimentar a autoestima e a autoconfiança, e com isso fica mais fácil ter discernimento para filtrar o que recebe de terceiros.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube