Topo

Pergunte ao VivaBem

Os melhores especialistas tiram suas dúvidas de saúde


Pergunte ao VivaBem

A gordura do chocolate é tão ruim quanto a da carne?

iStock
Imagem: iStock

Gabriela Ingrid

Do UOL VivaBem, em São Paulo

23/04/2019 04h00

No geral, não é que a gordura saturada do chocolate seja melhor, mas suas concentrações no doce são menores, quando comparadas com as da carne. A gordura do chocolate ainda vem da manteiga de cacau e tem ácidos graxos com menor poder aterogênico, ou seja, menos riscos de elevar o colesterol "ruim" LDL. A carne, por mais que tenha uma gordura saturada de origem animal, também contém esses ácidos graxos, mas tem quantidades maiores dos que justamente elevam o colesterol.

É importante lembrar que a gordura saturada não é ruim. Ela é importante para a produção de hormônios e o transporte de algumas vitaminas. O problema está no exagero. Para se ter ideia, em uma dieta tradicional de 2.000 calorias por dia, a quantidade ideal de consumo de gordura saturada pode chegar de 7 a 10% desse total, o que dá cerca de 20 g --dois pedaços pequenos de maminha, por exemplo, têm aproximadamente 19 g de gordura saturada.

O cuidado é em relação à quantidade e ao tipo de alimento que você consome. Enquanto a carne vermelha tem mais gordura saturada do que o peixe e o frango, por exemplo, o chocolate é muito calórico. Se ele for ao leite então, piorou: a quantidade de gordura saturada de sua composição aumenta, assim como as calorias, e alguns deles ainda contêm gordura vegetal hidrogenada, ou melhor, a gordura trans, que aumenta as taxas do colesterol "ruim".

Em uma alimentação equilibrada, 60 g de carne por dia é suficiente e 20 g (ou dois quadradinhos) de chocolate com 70% de cacau ou mais seria bom. O problema é que essas recomendações são difíceis de serem seguidas. Afinal, quem come só dois míseros pedaços de chocolate? É por esse motivo que os especialistas indicam a moderação. Tudo bem comer um ovo de Páscoa uma vez no ano ou exagerar no hambúrguer no final de semana. É só não deixar isso virar rotina e, claro, manter sempre que possível seu prato colorido e rico em nutrientes.

Fontes: Tarcila Campos, nutricionista do Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz; Daniel Magnoni, nutrólogo do HCor (Hospital do Coração).

Quais são suas principais dúvidas sobre saúde do corpo e da mente? Mande um e-mail para pergunteaovivabem@uol.com.br. Toda semana, os melhores especialistas respondem aqui no UOL VivaBem.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Mais Pergunte ao VivaBem