Topo

Alimentação

Ideias e informações para você comer melhor


Alimentação

Homem tem problema no rim devido ao excesso de vitamina D; quanto consumir?

iStock
Imagem: iStock

Do UOL, VivaBem, em São Paulo

11/04/2019 09h38

Resumo da notícia

  • Canadense tem insuficiência renal depois de consumir megadoses de vitamina D durante anos
  • Recomendação foi feita por um naturopata, sem que o homem tivesse nenhuma doença ou condição que precisasse do suplemento
  • A dosagem da suplementação de vitamina D deve ser personalizada, a depender dos resultados exames que comprovam a necessidade
  • As doses seguras são 400 UI/dia para crianças/jovens, 800 UI para adultos e 1.000 a 2000 UI para idosos.

Um homem de 54 anos ficou com os rins totalmente comprometidos depois de ingerir em excesso vitamina D. O caso aconteceu no Canadá e as informações foram publicadas no periódico Canadian Medical Association Journal.

O problema ocorreu após o canadense ingerir diariamente 8 a 12 gotas do suplemento por quase dois anos e meio --dose considerada acima do permitido pelos médicos. De acordo com as informações publicadas no artigo, a quantidade tinha sido recomendada por um naturopata.

"Nossa experiência nos informa que pacientes e médicos devem ser mais bem informados sobre os riscos em relação ao uso irrestrito de vitamina D", escreveu um dos autores na publicação.

Para entender o que pode ter provocado a insuficiência renal no homem, os médicos decidiram investigar a fundo a relação da vitamina D e a doença. Os cientistas descobriram que o paciente havia tomado sol todos os dias durante um período de oito horas ou mais.

Aparentemente, após uma viagem de duas semanas ao sudeste da Ásia, os níveis de creatina do paciente dispararam inesperadamente e foram de 100 µmol/L para 132 µmol/L.

Em princípio, os médicos achavam que o paciente havia sofrido apenas uma insolação, mas mesmo depois de interromper as medicações anti-hipertensiva e diurética, os níveis de creatina não paravam de subir.

Quando a medida atingiu 376 µmol/L, o paciente foi encaminhado ao nefrologista, que constatou a condição e descobriu que ele consumia doses altas do composto, sem mesmo apresentar nenhum tipo de deficiência ou doença que necessitasse de suplementação.

Depois de quase um ano em tratamento, o sangue do paciente voltou ao normal, mas ele ficou com uma doença renal crônica.

Por que consumir vitamina D em excesso é prejudicial?*

A dosagem da suplementação de vitamina D deve ser personalizada, a depender dos resultados exames que comprovam a necessidade. As doses seguras são 400 UI/dia para crianças/jovens, 800 UI para adultos e 1.000 a 2000 UI para idosos.

Doses elevadas de vitamina D, por longo período de tempo, podem ser tóxicas e levar à hipercalcemia ou hipercalciúria (níveis altos de cálcio no sangue e na urina, respectivamente).

Este efeito colateral pode levar a lesões nos rins e danos em ossos e músculos. Embora esse quadro seja considerado raro, se isso vier a ocorrer os sintomas que você pode sentir são:

  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vômitos, seguidos de sede excessiva;
  • Fraqueza;
  • Aumento do volume urinário (poliúria);
  • Desidratação intensa;
  • Sonolência.

Como prevenir a falta de vitamina D*

  • Aproveite toda oportunidade de se expor ao sol, mas não exagere;
  • Evite ficar muito tempo em locais fechados. Em vez de ir ao shopping, vá a um parque;
  • Faça uso racional da proteção solar. Tomar um pouco de sol faz bem;
  • Colabore com a suplementação aderindo a ela, especialmente se você se encaixa no grupo de risco;
  • Capriche na alimentação não deixando faltar alimentos que sejam fonte de vitamina D.

*Informações retiradas de matéria publicada no dia 30/01/2019

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube