Topo

Longevidade

Práticas e atitudes para uma vida longa e saudável


Longevidade

Tomar suplementos alimentares não faz você viver mais, diz estudo

iStock
Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

10/04/2019 15h08

Resumo da notícia

  • Realmente, quem consome vitaminas vive mais, mas talvez não por causa do suplemento em si e sim porque essas pessoas seguem uma dieta mais saudável.
  • Usuários de suplementos tendem a ter níveis mais altos de educação e renda, ter dieta saudável e praticar exercício, fatores que reduzem a mortalidade
  • A sugestão foi que, se o paciente perceber que tem um déficit, ele deve suplementar, mas não mais do que a dose diária recomendada

Uma nova pesquisa concluiu que os tão amados suplementos alimentares não prolongam a vida e pior: podem até encurtá-la, se ingeridos em níveis elevados. Publicado no periódico Annals of Internal Medicine, o estudo descobriu que, realmente, quem consome vitaminas vive mais, mas talvez não por causa do suplemento em si e sim porque essas pessoas seguem uma dieta mais saudável.

Os pesquisadores perceberam um menor risco de morte por qualquer causa entre aqueles que consumiram quantidades adequadas de vitamina K e magnésio, e um menor risco de morte cardiovascular entre aqueles com ingestão adequada de vitamina A, vitamina K e zinco. Entretanto, essa associação tornou-se não significativa quando eles explicaram fatores de estilo de vida, como educação, tabagismo e bebida.

Os usuários de suplementos eram mais propensos do que outros a ter níveis mais altos de educação e renda familiar, comer uma dieta saudável e ser fisicamente ativos, fatores que já são conhecidos por reduzir a mortalidade.

Alimentos fontes de vitamina K incluem verduras, como couve, espinafre e brócolis. O zinco é encontrado em grãos e leguminosas, como lentilhas e grão-de-bico. Ovos, frutas e vegetais laranja e amarelos são ricos em vitamina A.

O que os assustou foi a conclusão de que o consumo excessivo de cálcio foi associado a um maior risco de morte por câncer. A sugestão foi que, se o paciente perceber que tem um déficit, ele deve suplementar (com a prescrição médica, claro), mas não mais do que a dose diária recomendada.

Uma coisa que os pesquisadores não podem dizer é se a associação é entre os nutrientes em si ou outros componentes dos alimentos. Além disso, a pesquisa encontrou apenas associações e não prova que certos nutrientes nos alimentos prolongam a vida. Apesar disso, a ideia de tentar obter os nutrientes apenas da dieta continua sendo a mais recomendada.

Como o estudo foi feito

  • Os pesquisadores relacionaram os efeitos de suplementos, bem como o impacto dos nutrientes encontrados em alimentos, com dados de 27.725 adultos participantes da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição dos Estados Unidos.
  • Os participantes preencheram um questionário alimentar de 24 horas duas vezes. Além disso, durante uma entrevista domiciliar, eles responderam se haviam usado algum suplemento dietético nos últimos 30 dias. Aqueles que disseram que usaram suplementos foram solicitados por detalhes, incluindo a frequência com que levavam os produtos.
  • Mais da metade dos participantes do estudo relataram o uso de suplementos alimentares nos 30 dias anteriores e 38,3% relataram o uso de suplementos vitamínicos e minerais.
  • Durante o acompanhamento médio de seis anos, 3.613 dos participantes do estudo morreram. Esse número incluiu 945 mortes cardiovasculares e 805 mortes por câncer.

Recomendações antes de tomar suplementos

  • Compre suplementos de fornecedores reconhecidos, pois devem ter passado por rigorosas checagens de segurança.
  • Verifique se foram realizados testes clínicos com uma parcela da população semelhante à sua (em termos de idade, sexo, etc.).
  • Confira as advertências. Por exemplo, pessoas com problemas cardíacos devem checar se o suplemento não faz mal ao coração.
  • Tenha cuidado ao tomar vários suplementos ao mesmo tempo.
  • Tome apenas as doses recomendadas.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube