Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Justin Bieber faz tratamento de oxigenoterapia hiperbárica; para que serve?

Justin Bieber está fazendo tratamento em que paciente inala oxigênio puro em uma pressão maior que a pressão atmosférica normal - Foto: Reprodução / Instagram
Justin Bieber está fazendo tratamento em que paciente inala oxigênio puro em uma pressão maior que a pressão atmosférica normal Imagem: Foto: Reprodução / Instagram

Giulia Granchi

Do UOL VivaBem, em São Paulo

27/03/2019 16h24

Resumo da notícia

  • Vídeo mostrou Justin Bieber realizando tratamento da modalidade terapêutica oxigenoterapia hiperbárica
  • O cantor não informou o motivo do uso da técnica, que é utilizada principalmente para tratar feridas e lesões
  • Fãs relacionaram o tratamento à depressão do cantor, mas não existe comprovação científica sobre melhora da saúde mental
  • A oxigenoterapia hiperbárica é permitida no Brasil, mas deve ser utilizada com cautela e supervisão médica

Em posts no Instagram, o cantor Justin Bieber mostrou que está fazendo tratamento de oxigenoterapia hiperbárica, modalidade terapêutica na qual o paciente inala oxigênio puro em uma pressão maior que a pressão atmosférica normal, dentro de uma câmara hermeticamente fechada.

Vídeo mostra o cantor dormindo dentro de câmara - Reprodução Instagram
Vídeo mostra o cantor dormindo dentro de câmara
Imagem: Reprodução Instagram
No vídeo, a câmara, inflável, aparece posicionada no chão, e uma mensagem da esposa de Bieber cobre parte da tela: "Durma bem, amor", escreveu Hailey Baldwin.

Antes de entender os benefícios desse tratamento, é importante saber que a forma como Bieber usa a terapia na gravação é completamente irregular. "A câmara não poderia ser inflável e o paciente não pode passar mais do que duas horas em tratamento, o que o cantor parece ter feito ao dormir dentro do objeto", alerta Iriano da Silva Alves, médico gastroenterologista e diretor científico da SBMH (Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica).

O médico ainda aponta que ninguém deve usar oxigenoterapia hiperbárica de forma banalizada. "Muitas pessoas pensam que, se não fizer bem, pelo menos a terapia não fará mal. Não é dessa forma. Assim como um medicamento tomado sem orientação médica, ela pode ser tóxica para o corpo."

Para que serve?

De acordo com a SBHM, em geral, o tratamento é indicado para:

  • Feridas de difícil cicatrização (como nas nádegas, em pessoas acamadas por um longo período e nos pés de diabéticos);
  • Infecções graves com destruição muscular, de pele ou gordura subcutânea;
  • Lesões de bexiga, intestinos, ossos e cérebro, causadas tardiamente por radioterapia;
  • Esmagamentos e amputações traumáticos;
  • Infecção crônica dos ossos;
  • Procedimentos de cirurgia plástica reparadora, quando se recobre uma ferida com pele ou músculos retirados de outra parte do corpo do próprio paciente, com risco de insucesso;
  • Presença de bolhas de ar na corrente sanguínea ("embolia gasosa arterial"), complicação passível de ocorrer após a realização de alguns procedimentos médicos;
  • Queimaduras extensas;
  • Coleção de pus ou ar no cérebro, causados, respectivamente, por processo infeccioso e trauma.

Ajuda no tratamento depressão?

Com suspeita de depressão, Bieber cancelou shows e revelou, em texto no Instagram, que está lutando e enfrentando coisas em sua cabeça. Logo os fãs relacionaram o tratamento de oxigenoterapia hiperbárica com a doença. Porém, segundo Alves, não existem comprovações científicas de que a técnica promova melhora de questões relacionadas à saúde mental.

"Existe apenas um estudo, da Veterans Administration (EUA), que analisa os benefícios da técnica para traumas cerebrais. A equipe relata que os participantes apresentaram melhoras, mas não foi nenhum indicativo forte, pois os benefícios foram transitórios", informa.

O diretor científico da SBMH alerta que qualquer tratamento que cobre dinheiro do paciente prometendo este tipo de resultado é completamente irregular. Podem apenas existir pesquisas científicas que tenham voluntários, mas nesses casos, devem ser gratuitas e informar o paciente que ele passará por testes.

A oxigenoterapia hiperbárica é liberada no Brasil?

Sim, para os tipos de tratamento já citados. No Brasil, a técnica é regulamentada pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) e, para algumas indicações, pela ANS (Agencia Nacional de Saúde).

Quanto custa?

O preço pode variar muito de acordo com o quadro do paciente e local em que escolhe passar, mas fica em torno de R$ 300 por sessão.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde