PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Xô, solidão: idosos que interagem com pessoas variadas são mais ativos

Istock
Imagem: Istock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

20/02/2019 19h44Atualizada em 21/02/2019 19h42

Resumo da notícia

  • Interagir com o maior número de pessoas ajuda idosos a serem mais ativos
  • Pessoas conhecidas estimulam a prática de atividade física
  • Um outro estudo considera a integração social mais importante para viver mais do que não fumar

Uma pesquisa feita por cientistas da Universidade do Texas (EUA) apontou que idosos que passam mais tempo interagindo com pessoas fora de seu círculo íntimo tendem a ser fisicamente ativos e têm mais bem-estar emocional.

Por que prestar atenção nele

O estudo, publicado no Journals of Gerontology Series B: Psychological Sciences and Social Sciences, é um dos primeiros a mostrar que não só os laços sociais próximos são importantes para o idoso, mas que manter contato com pessoas variadas, da atendente do café ao caixa do supermercado, ajuda a aumentar sua atividade física.

Como o estudo foi feito 

  • Pesquisadores perguntaram aos voluntários sobre encontros e atividades sociais que tinham durante um período de três horas durante uma semana.
  • Os 300 participantes usaram dispositivos eletrônicos para monitorar suas atividades físicas e tinham mais de 65 anos.
  • Os autores observaram que os voluntários que conversavam e interagiam mais com pessoas variadas praticavam mais atividades físicas, saíam de casa, caminhavam ou faziam compras.

Como usar a pesquisa a seu favor

Colocar em prática a socialização é um primeiro passo que todo mundo dar. Até porque uma outra pesquisa, realizada por Julianne Holt-Lunstad, da Brigham Young University (EUA), que analisou 148 estudos com mais de 300 mil adultos chegou a conclusões também favoráveis à integração social.

Os participantes foram acompanhados por anos, até que eles morressem. Ao final da investigação, a cientista descobriu que as pessoas que viveram por mais tempo tinham em comum algumas características --e a integração social está lá e é mais importante para ter vida longa do que não beber e não fumar. 

Com base em suas descobertas, ela montou uma lista de coisas que mais reduzem as chances de as pessoas morrem, de forma decrescente:

  1. Integração social;
  2. Relacionamento próximo (com ao menos três pessoas);
  3. O quanto fuma;
  4. O quanto bebe;
  5. Tomar vacina contra gripe;
  6. Cuidar da saúde cardíaca;
  7. Praticar exercício físico;
  8. Ser magro ou estar com sobrepeso;
  9. Cuidar da hipertensão;
  10. Viver em um local com ar limpo.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube


 

Saúde