PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Uso constante de redes sociais aumenta depressão e solidão, segundo estudo

Pesquisa mostra que usar redes sociais por menos tempo leva a reduções significativas tanto de depressão quanto solidão - iStock
Pesquisa mostra que usar redes sociais por menos tempo leva a reduções significativas tanto de depressão quanto solidão Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

09/11/2018 20h23

Saber como as redes sociais influenciam nossas vidas longe dos celulares é uma curiosidade debatida há anos, provavelmente desde antes do seu perfil no Orkut. Existem vários "achismos", inclusive teorias que afirmam que observar todo mundo feliz 24h pode não ser tão benéfico.

Para sanar a dúvida, uma pesquisa científica com fortes dados experimentais conectou pela primeira vez o uso de Facebook, Snapchat e Instagram à diminuição do bem-estar. Os resultados foram publicados no Journal of Social and Clinical Psychology.

VEJA TAMBÉM:

Já tinham sido publicados estudos que tentaram avaliar essa ligação, mas todos seguiam um escopo limitado e situações muito fora da realidade, como pedidos para os participantes abandonarem completamente o Facebook ou serem testados por apenas uma hora.

“Nós nos propusemos a fazer um estudo muito mais abrangente e rigoroso, que reproduzisse com maior similaridade a rotina das pessoas”, escreveram os cientistas do departamento de psicologia da Universidade da Pensilvânia, nos EUA.

A equipe analisou as experiências de 143 estudantes, de 18 a 22 anos, com as três plataformas mais populares entre os alunos da graduação (Facebook, Snapchat e Instagram), coletando dados de uso automaticamente rastreados pelos iPhones dos participantes. Também foram feitas pesquisas para determinar o humor e o bem-estar de cada um, além da análise de suas publicações.

Os estudantes observados foram divididos em dois grupos: os que podiam usar o celular sem restrição e os que tinham só dez minutos por dia em cada rede social. Durante três semanas, os cientistas acompanharam as estatísticas de uso, e registraram os níveis de medo, perda, ansiedade, depressão e solidão, dos jovens.

Os resultados mostraram que usar redes sociais por menos tempo leva a reduções significativas tanto de depressão quanto solidão. Esses efeitos são particularmente válidos para pessoas que estavam mais deprimidas quando começaram a pesquisa.

A publicação salienta que as descobertas não sugerem o fim das mídias sociais, a ideia é que limitar o tempo de tela nesses aplicativos não prejudica a saúde.

"É um pouco irônico dizer que reduzir o uso de mídia social faz você se sentir menos solitário", afirma Melissa G. Hunt, líder da pesquisa. Mas ao investigar um pouco mais, as descobertas fazem sentido. "As publicações existentes sobre redes sociais sugerem que há uma enorme quantidade de comparação. Quando você olha para a vida de outras pessoas, particularmente no Instagram, é fácil concluir que a vida de todos é mais legal ou melhor que a sua."

O texto não determina o tempo ideal que os usuários devem gastar nas plataformas, ou a melhor maneira de usá-los, mas faz observações importantes.

  • É bom reduzir as oportunidades de comparação social. “Quando você não está ocupado sendo sugado pelas mídias sociais, você está gastando mais tempo em coisas que são mais propensas a fazer com que você se sinta melhor sobre sua vida," aconselha Hunt.
  • Use as redes sabendo limitar os efeitos prejudiciais, como essas ferramentas vieram para ficar, cabe à sociedade descobrir como usá-las de forma saudável. "Em geral, eu diria, desligue o celular e fique com as pessoas da sua vida," diz Hunt. 

Siga o VivaBem nas redes sociais
Facebook • Instagram • Youtube

Equilíbrio