PUBLICIDADE

Topo

Pergunte ao VivaBem

Os melhores especialistas tiram suas dúvidas de saúde


Pergunte ao VivaBem

Existe alguma dieta recomendada para que tem demência ou Alzheimer?

Gabriela Ingrid

Do VivaBem

01/05/2018 04h00

"Tenho um avô que tem Alzheimer. Existe alguma dieta que retarde o avanço dessa doença?"

Estudos sugerem que uma alimentação adequada é essencial para a saúde mental e que os alimentos podem ter um importante papel no retardo da progressão e na prevenção de doenças relacionadas ao cérebro. Em 2006, por exemplo, uma pesquisa feita pela Universidade Columbia, nos Estados Unidos, analisou 2,2 mil pessoas por quatro anos e descobriu que a dieta mediterrânea pode reduzir os riscos de Alzheimer em até 40%.

Esse tipo de dieta é rica em peixes, azeite, amêndoas, grãos integrais, nozes, tomate e espinafre. Ela ajuda prevenir ou retardar a doença, porque os alimentos presentes nesse plano alimentar contêm ômega-3, que atua no cérebro, melhorando a concentração, a memória, o aprendizado, a motivação, o humor e a velocidade de reação. Além de vitaminas, sais minerais e substâncias antioxidantes, que protegem as células sadias do organismo da ação oxidante dos radicais livres (moléculas responsáveis pelo envelhecimento).

Leia também:

Outra pesquisa mais recente, realizada em 2016 por pesquisadores da Universidade Rush, nos Estados Unidos, comprovou que a dieta MIND também pode reduzir o risco de a pessoa desenvolver Alzheimer. Esse plano alimentar prioriza o consumo diário de vegetais, nozes, feijões, peixes, aves, grãos integrais e azeite. A recomendação é evitar carnes vermelhas, manteiga, margarina, queijos, doces, frituras e fast-food. Segundo os cientistas, que observaram 900 pessoas por cinco anos, os seguidores da dieta MIND têm 53% menos chances de desenvolver Alzheimer e ainda foram avaliadas cognitivamente como se fossem 7,5 anos mais jovens.

É importante ressaltar que não é apenas a dieta que vai prevenir ou retardar a doença. Praticar exercício físico, ler, evitar o tabagismo e o excesso de álcool também postergam o aparecimento da demência. O ideal é deixar o cérebro ativo, de todas as formas possíveis.

Fontes: Elci Almeida Fernandes, nutricionista especialista em gerontologia da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia; Roberta Arb Saba, neurologista da Academia Brasileira de Neurologia.

Quais são suas principais dúvidas sobre saúde do corpo e da mente? Mande um e-mail para pergunteaovivabem@uol.com.br. Toda semana, os melhores especialistas respondem aqui no VivaBem.

Siga o VivaBem nas redes sociais
FacebookInstagramYoutube

Pergunte ao VivaBem