PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Marcador no sangue poderia revelar câncer um ano antes da doença

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

14/01/2018 15h07

Uma equipe de cientistas descobriu que os tumores de ovário e de mama poderiam ser identificados com até um ano de antecedência, graças a um novo método para detectar padrões de DNA em amostras de sangue. Liderada por cientistas do University College de Londres, a pesquisa foi publicada em Genome Medicine.

A equipe identificou uma região de DNA chamada EFC # 93, que apresentava padrões anormais de metilação do DNA quando o câncer de mama estava presente. A metilação do DNA é quando os grupos metilo são adicionados ao DNA, modificando a função e a expressão dos genes. Essas mudanças foram encontradas no início do desenvolvimento da doença.

Leia também:

Todos os anos, 522 mil mulheres morrem de câncer de mama. No entanto, existe uma taxa de cura de 90% se o tumor for detectado cedo, tornando pesquisas como essa extremamente benéficas. O exame de mamografia é frequentemente usada para o diagnóstico precoce, mas o método é limitado.

"Pela primeira vez, nosso estudo dá evidências de que os marcadores de metilação do DNA do soro, como o EFC # 93, fornecem um indicador altamente específico que poderia diagnosticar cânceres de mama fatais até um ano antes do diagnóstico atual", disse o professor Martin Widschwendter, autor principal do estudo do University College London, em um comunicado.

Como foi

No estudo, foram utilizadas 1.869 amostras de soro de sangue e 31 tecidos, em mulheres saudáveis e com câncer de ovário. Das amostras, 419 foram retiradas de pacientes após a cirurgia e após a conclusão da quimioterapia.

Os resultados mostraram que em 88% dos casos, o câncer de ovário pode ser detectado 1-2 anos antes, observa a New Scientist. Mulheres com câncer de ovário foram detectadas com 91% de precisão em um estudo de acompanhamento.

A equipe espera que o teste possa ser utilizado como triagem em toda a população, ajudando a prevenir mortes prematuras. O próximo passo será partir para ensaios clínicos checar quão útil a técnica poderia ser, mas os resultados até agora são certamente promissores.

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

Saúde