Topo

Check-up VivaBem

Aqui boato não tem vez! Esclarecemos o que dizem por aí


Check-up VivaBem

Malhar com cinta modeladora aumenta a performance e ajuda a perder gordura?

Check-up Viva Bem - Cinta para malhar
Imagem: Brunna Mancuso/VivaBem

Vivian Ortiz

Do VivaBem, em São Paulo

13/12/2017 04h00

Cintura visivelmente mais fina, um abdômen durinho e a expectativa de perder a gordura localizada dessa região de forma mais rápida. Essa é a promessa das cintas modeladoras que, quando utilizadas no período da malhação, ajudariam a alcançar tais objetivos de forma mais rápida.

Além disso, ainda melhorariam a postura, ao deixar o corpo mais ereto, evitando problemas futuros na coluna. Diversas famosas, como as atrizes Fernanda Souza e Claudia Raia, além das musas fitness Gracyanne Barbosa e Juju Salimeni, são algumas figuras que divulgam o método. Mas será que ele é realmente efetivo?

Malhar com a cinta ajuda a perder medida?

A ideia principal das cintas feitas em lycra, por exemplo, é causar uma compressão na região abdominal --alguns modelos servem até para a região dos glúteos e culotes-- para que a pessoa fique com um físico delineado.

No entanto, de acordo com o cirurgião plástico Henrique Lopes Arantes, membro titular da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica), não existe estudo científico comprovando que o uso constante de cintas leva a uma redução permanente das medidas ou ao remodelamento da distribuição da gordura.

"Seu uso pode melhorar o contorno corporal da pessoa naquele período de tempo, mas, após a retirada, ela volta a ser como era antes. Isso acontece porque seu efeito é temporário, relacionado à compressão momentânea", ressalta.

Mas está liberado malhar usando uma cinta?

Com exceção do cinto lombar para musculação --aqueles normalmente feitos de couro--, o produto não é indicado para atividades físicas em geral. Enquanto esse modelo é recomendado para estabilização da lombar durante exercícios físicos com altas cargas, a cinta de lycra pode até prejudicar o esporte.

Devido ao calor, o uso dela durante a atividade física pode aumentar a transpiração e, em alguns casos, até machucar a pele ou causar algum tipo de irritação. Também pode causar atrofia da musculatura abdominal e lombar, problemas intestinais e até mesmo retorno venoso dos membros inferiores --propiciando o aparecimento das temidas varizes. A cinta ainda impede que a pessoa respire de forma correta durante a execução do exercício.

Se causa atrofia, deixa a barriga mais flácida?

Eduardo Netto, membro do Conselho Federal de Educação Física e mestre em motricidade humana, explica que o uso diário da cinta também pode fazer com que a musculatura abdominal fique mais flácida, uma vez que não está sendo utilizada. "Tencionando o core com o elástico da cinta, a pessoa desaprende a usar a musculatura da região. E essa é uma área estabilizadora do corpo, pois ajuda a coluna a suportar mais carga."

Carlos Bautzer, cirurgião plástico do Hospital Israelita Albert Einstein, concorda: "O músculo precisa de estímulo para ser eficaz e deixá-lo em repouso vai acarretar em uma dependência da cinta", ressalta. Assim, o uso contínuo pode ser mais prejudicial do que benéfico.

No entanto, você pode vesti-la sem problemas para obter um melhor contorno corporal para alguma situação específica, como uma festa, por exemplo.