PUBLICIDADE

Topo

Turbine seu cérebro

Dicas para usar melhor a sua mente


Turbine seu cérebro

Virando a noite para produzir mais? Saiba por que isso te faz render menos

Denis Freitas / UOL VivaBem
Imagem: Denis Freitas / UOL VivaBem

Leonardo Valle

Colaboração para o VivaBem

23/03/2020 04h00

Em termos de produtividade, passar a madrugada estudando ou trabalhando fará você render bem menos do que imagina. A falta de sono pontual —aquela única noite sem dormir — provoca perda não só de memória, mas de atenção, percepção espacial, aprendizagem e da capacidade de tomar decisões.

"Há uma perturbação na comunicação neuronal entre o hipocampo e o córtex, assim como uma perda de funcionalidade dos circuitos neuronais, cujos transmissores são a dopamina, noradrenalina, serotonina e acetilcolina", descreve John Fontenele-Araujo, neurocientista e professor da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte).

Ao dormir, o cérebro também sofre um processo de "limpeza". Derivados do metabolismo neuronal —um tipo de 'lixo' químico do cérebro — passam para as meninges e formam o fluído cérebro-espinhal. Durante a privação do sono, claro, isso não ocorre.

"Há o acúmulo de substâncias tóxicas para o tecido cerebral. Mas as consequências serão em longo prazo", diz.
Engana-se, ainda, quem pensa que as xícaras de café farão você mais produtivo. "Substâncias estimulantes como a cafeína ativam o cérebro, porém, não aumentam a capacidade de atenção e concentração", desmistifica Araújo. "Sentimo-nos acordados, mas, na verdade, estamos com baixa atenção e podemos cometer muitos erros".

Para reduzir danos, Magda Nunes, neurologista e professora de Medicina da PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul), recomenda a sesta de 30 minutos. "A soneca aumenta neurotransmissores como serotonina e garante efeitos positivos", indica.

Vale ainda lembrar que todos os impactos negativos são transitórios e resolvidos com uma boa noite de descanso, na sequência. "Caso a privação do sono ocorra de forma crônica, as consequências são graves", alerta Nunes.

  • Denis Freitas / UOL VivaBem

    Vaga lembrança

    O grupo de pesquisa de Araújo investiga a dinâmica da interação neuronal entre o hipocampo e o córtex cerebral durante o sono. "Quando há uma perturbação na comunicação neuronal entre o hipocampo e o córtex, provocada pela privação do sono ou por doenças, há um prejuízo na memória", atesta o neurocientista.

  • Denis Freitas / UOL VivaBem

    Aprendizado não fixa

    Ficou sem dormir e foi para a aula na manhã seguinte? Isso também pode não ser uma boa ideia. O motivo é que a privação do sono afeta a plasticidade cerebral, ou seja, a capacidade do cérebro de se modificar e formar novas sinapses (regiões entre neurônios onde os neurotransmissores atuarão). "Os fenômenos relacionados à plasticidade cerebral são detectados no exame eletroencefalograma durante o sono, como fusos, os complexos K e as ondas lentas", ressalta Araujo. "No sono, há formação de novas sinapses e a consolidação de memórias. Caso haja a privação de sono, estes eventos não ocorrem e a memória não é fixada. As consequências são imediatas", ressalta. Para completar, a combinação de mau humor e baixa concentração também impacta diretamente na aprendizagem.

  • Denis Freitas / UOL VivaBem

    Menos atenção, mais erros

    Em uma pesquisa de 2019 da Universidade Estadual de Michigan (Estados Unidos), dois grupos foram submetidos a tarefas de resposta a um estímulo e de manutenção de uma mesma atividade por um período. A turma que ficou sem dormir uma noite apresentou o dobro de chances de cometer erros e o triplo de lapsos de atenção em relação a quem descansou. Araújo explica que um conjunto de circuito de neurotransmissores ativa o córtex cerebral e nos mantém em vigília e atenção. Entre eles, dopamina, noradrenalina, acetilcolina e serotonina. "Durante o sono, eles reduzem suas atividades, o que não ocorre ao ficar sem dormir. Resulta em um maior consumo dessas substâncias e provoca uma hipofuncionalidade", explica. Na prática, há diminuição da atenção e concentração. "Afeta a nossa capacidade de avaliar riscos e perigos, o que explica o aumento no número de erros cometidos no trabalho", assinala.

  • Denis Freitas / UOL VivaBem

    Visão espacial prejudicada

    A capacidade da visão de integrar pessoas, cenários e objetos, assim como a de perceber a localização das coisas no espaço, também fica prejudica durante uma noite sem dormir. Isso porque a privação de sono pode afetar áreas do córtex relacionadas ao processamento visual. Em 2012, uma revisão da literatura científica realizada pela UFRN mostrou que ficar sem dormir podia resultar na formação de imagens turvas e duplas sobre a retina, diminuição na vigilância e da precisão visual. "A maioria das investigações sobre sono e percepção visual indicam prejuízos na capacidade de perceber com precisão estímulos visuais do ambiente devido à privação de sono", concluiu o estudo.

Turbine seu cérebro