PUBLICIDADE

Topo

Verônica Laino

Está com gordura abdominal e não sabe como reduzi-la? Veja 5 passos

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Verônica Laino

Verônica Laino é formada em nutrição pela USP (Universidade de São Paulo), pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva Funcional e coach de emagrecimento. Trabalhou em clínica particular por sete anos e hoje dedica seu tempo aos seus coachees e a? produc?a?o de conteu?do online, mi?dias sociais e eventos, como forma de alcanc?ar cada vez mais pessoas e ajuda?-las a levar uma vida pra?tica, sauda?vel, balanceada e gostosa.

Colunista do UOL

18/01/2022 04h00

A região do corpo mais difícil de ser reduzida, com certeza, é a região abdominal, principalmente nesta época que estamos vivendo, cercados de estresse, que leva a picos do hormônio cortisol e consequentemente ao ganho de peso na região da barriga.

Muitas pessoas se incomodam pelo fato estético, porém também há risco à saúde. A gordura abdominal aumenta o risco de diabetes, doenças cardiovasculares, derrame e até câncer colorretal.

Que tal aproveitar o começo do ano, quando estamos mais dispostos a agir de forma diferente, e incluir cinco atitudes que vão fazer muita diferença na sua saúde e de quebra ajudar seu organismo a reduzir a gordura abdominal.

Junk food - dia do lixo - iStock - iStock
Imagem: iStock

Evite produtos ultraprocessados

Se tem um grupo que devemos reduzir do nosso dia a dia são os ultraprocessados. Isso porque eles contêm altas concentrações de açúcares, gorduras saturadas e trans, além de diversos aditivos químicos. Estes produtos são considerados formulações industriais que geralmente são feitas de partes de alimentos, praticamente não têm nenhum alimento inteiro na sua composição.

O problema dos ultraprocessados é que eles são desenvolvidos para serem extremamente palatáveis e convenientes, ou seja, são prontos para serem ingeridos sem ter trabalho para higienizar e preparar, basta abrir a embalagem e pronto!

Outro ponto que temos que ter em mente é que são desenvolvidos para serem muito lucrativos, ou seja, a matéria-prima é barata e de baixo valor nutricional. Alimentos que entram nesta categoria são: refrigerantes, sucos artificiais, bolachas recheadas, cereais matinais, embutidos, pratos prontos congelados como lasanha, nuggets, hambúrguer etc.

Deixe estes alimentos para serem consumidos ocasionalmente na sua rotina, e sempre que possível prefira preparar os alimentos ao invés de comprar pronto.

Bebida alcoólica - iStock - iStock
Imagem: iStock

Cuidado com as bebidas alcoólicas

Com a chegada do verão o consumo de bebidas alcoólicas, principalmente a cerveja, aumenta muito. O problema é que temos estudos que mostram que o excesso de álcool está associado ao acúmulo de gordura na região abdominal.

Claro que não precisamos cortar o álcool da nossa vida, a ideia aqui é reduzir o volume e a frequência com que ele aparece na sua rotina. O ideal é que você dê um intervalo de pelo menos três dias entre um consumo e outro, assim seu corpo consegue metabolizar todo o álcool e eliminá-lo sem gerar grandes consequências. Outro ponto importante é o volume, precisamos limitar a uma ou duas doses por ocasião.

Evite festas que sejam open bar e guarde sempre o lacre da latinha no bolso ou um guardanapo toda vez que você consumir uma bebida. Desta forma, no final da noite você terá uma real noção de quanto consumiu e aos poucos pode ir reduzindo o volume.

Vamos supor que você consumiu cinco latinhas de cerveja em um churrasco. No próximo encontro, limite-se a quatro e então vá reduzindo até chegar a uma ou duas latinhas apenas.

Homem jovem bebe água, hidratação, bebendo água, líquido, calor, verão, suor - iStock - iStock
Imagem: iStock

Beba água

Já reparou que em toda dica de nutrição a água sempre aparece? E mesmo assim muitas pessoas não chegam nem perto do volume ideal. A falta de água leva ao inchaço, o que dá a impressão que estamos estufados e com um volume maior abdominal. Além disso, nosso metabolismo fica mais lento a ponto de ter dificuldade de eliminar gordura.

Uma analogia que faço sempre para as pessoas entenderem é: imagine um prato bem engordurado, que para limpar corretamente é necessário água e sabão. Se usarmos apenas o sabão, o prato vai continuar engordurado e não vamos conseguir limpar. Nosso corpo funciona da mesma maneira. Imagine que a gordura que está no prato é a gordura corporal que você quer eliminar, o sabão é a dieta que você está fazendo, porém sem água a dieta não funciona, assim como o sabão não consegue desengordurar um prato se você não passar ele debaixo da torneira.

Alguns sintomas que nosso corpo está desidratado são:

  • Boca seca;
  • Prisão de ventre;
  • Fezes duras e secas;
  • Urina concentrada, de cor e cheiro mais fortes;
  • Inchaço devido à retenção de líquidos;
  • Pele ressecada;
  • Fraqueza;
  • Tontura;
  • Sonolência;
  • Dor de Cabeça.

Coma com mais frequência

Evite fazer refeições enormes. Tente fracionar melhor suas refeições, ingerindo alimentos a cada 3 ou 4 horas. Dessa forma você terá um volume menor de comida para digerir por ocasião e com isso você terá uma menor sensação de estufamento na região abdominal.

Outro ponto importante é que suas refeições sejam bem balanceadas. Evite consumir somente carboidrato e sempre tente balancear com boas fontes de proteína como carne, frango, peixe, ovo, queijos; ou boas fontes de gorduras como sementes e castanhas. Assim você ficará satisfeito e evitará picos de glicose na corrente sanguínea.

sono - iStock - iStock
Imagem: iStock

Tenha uma boa noite de sono

Claro que o que comemos é extremamente importante para reduzir o volume de gordura acumulado na região abdominal, porém de nada adianta comer bem se dormimos mal. Isso porque é à noite que ocorre a renovação do organismo, principalmente a nossa produção hormonal. Você sabia que dormir menos de 7 horas com qualidade leva a um aumento de cortisol, que faz com que se acumule cada vez mais gordura na região abdominal?

Tente praticar a higiene do sono, que consiste em:

  • Evitar estimulantes 6 horas antes de dormir, como café, refrigerantes de cola, guaraná, chimarrão e chás com cafeína;
  • Não usar aparelhos eletrônicos pelo menos 1 hora antes de ir dormir;
  • Deixar o ambiente escuro --use vendas nos olhos, se for preciso;
  • Usar a cama somente para dormir, então evite ver televisão ou trabalhar nela;
  • Criar uma rotina antes de dormir e evitar cochilar ao longo do dia;
  • Fazer uma meditação ou um alongamento antes de dormir (isso pode ajudá-lo a pegar mais rápido no sono).