PUBLICIDADE

Topo

Fernando Guerreiro

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Fascite plantar: quais as causas e como tratar a dor na sola do pé

Massagear a região plantar do pé (sola) com uma bolinha pode ajudar a aliviar a dor na região - iStock
Massagear a região plantar do pé (sola) com uma bolinha pode ajudar a aliviar a dor na região Imagem: iStock
Fernando Guerreiro

Fernando Guerreiro é formado em educação física e especializado em treinamento funcional. Atleta amador, já completou ultramaratonas e triatlos, e é também head coach da We Move Brasil, equipe de treino especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Colunista do VivaBem

06/03/2021 04h00

Você já sentiu pontadas na sola do pé, puxando para o calcanhar, durante uma corrida ou até mesmo após acordar ou levantar-se da cadeira depois muito tempo sentado? Isso pode ser fascite plantar.

Muito comum em corredores ou pessoas com excesso de peso, a lesão é uma inflamação da fáscia plantar —banda de tecido fibroso que recobre a sola do pé, protegida de impactos por uma cobertura de gordura e que tem como principais funções absorver choques e suportar a arcada plantar.

Essa inflamação atinge na maioria dos casos pessoas entre 40 e 60 anos de idade e costuma ser unilateral —afeta apenas um dos lados, esquerdo ou direito.

Os principais fatores que causam a fascite plantar:

  • Excesso de peso;
  • Práticas esportivas de grande impacto e longa duração;
  • Idade;
  • Pé cavo ou plano;
  • Perda de mobilidade nos tornozelos;
  • Encurtamento dos músculos das panturrilhas e isquiotibiais (posterior da coxa);

A fascite plantar é uma inflamação que evolui favoravelmente na maioria dos casos, com melhoras significativas após os dois primeiros meses de tratamento. Mas a dor pode tornar-se crônica se o paciente não tiver os cuidados adequados.

Como tratar a fascite plantar:

  • Mudanças no estilo de vida para diminuir o peso corporal;
  • Repouso;
  • Diminuição do impacto e carga de treino;
  • Palmilha ortopédica;
  • Usar calçados que proporcionam boa distribuição distribuição do peso corporal;
  • Exercícios específicos de alongamento;
  • Massagens com bolinhas (pode ser até a de tênis) ou rolinhos (você pode congelar uma garrafa de 500 ml de água para fazer a massagem, pois o gelo tem pode analgésico)
  • Fisioterapia usando ondas de choque;

Toda a atenção é merecida nos primeiros sintomas para evitar que essa inflamação evolua ao ponto de ser só resolvida com cirurgia.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL