PUBLICIDADE

Topo

Fernanda Victor

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Whey protein como aliado da saúde e metabolismo: entenda quando suplementar

iStock
Imagem: iStock
só para assinantes
Fernanda Victor

Fernanda Victor é médica endocrinologista e metabologista. É titulada pela SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) e mestre em ciências da saúde pela UPE (Universidade de Pernambuco)

Colunista do UOL

30/06/2022 04h00

Engana-se quem pensa que a utilização de whey protein se limita a quem pratica exercícios físicos. Esse suplemento nutricional pode ser utilizado até mesmo por crianças e idosos como uma estratégia alimentar para aumentar a ingestão de proteínas.

Além do mais, pode ser incluído em um planejamento alimentar, favorecendo o emagrecimento e o melhor controle do diabetes tipo 2 e dos triglicérides.

Whey protein é um suplemento à base de proteínas extraído do soro do leite. Por ser bastante proteico e ter alta qualidade nutricional, se popularizou em todo o mundo como um aliado de atletas que pretendiam aumentar a massa muscular do corpo.

Embora seja bastante difundido o seu uso por quem busca hipertrofia muscular, ele também pode ser indicado para pessoas que não conseguem suprir suas necessidades proteicas em uma alimentação habitual, independente de praticar ou não atividade física.

Por ser um nutriente chave, o consumo adequado de proteína na alimentação confere inúmeros benefícios para a saúde e o metabolismo. Diversos estudos consistentes têm apontado que a suplementação de whey protein pode:

- diminuir a gordura corporal
- aumentar a massa muscular corporal
- prevenir a perda muscular excessiva relacionada ao envelhecimento
- reduzir os níveis de açúcar do sangue (glicemia)
- auxiliar no tratamento de obesidade e síndrome metabólica
- reduzir o risco cardiovascular
- fortalecer o sistema de defesa

Apesar das vantagens apresentadas, é importante que a suplementação seja individualizada, avaliando a necessidade, a quantidade adequada e o tipo de suplemento alimentar que melhor se alinhem às suas condições de saúde e metas preestabelecidas.

De acordo com o processo de fabricação, filtragem e adições, o whey protein é comercializado nos seguintes tipos:

- Whey concentrado: filtração mais simples, mantendo maior percentual de gordura e lactose na sua composição, o que torna a absorção mais lenta. Em geral, é uma opção mais saborosa e com melhor custo-benefício, mas não é recomendado para intolerantes à lactose.

- Whey isolado: processo mais rigoroso de filtragem, resultando em maior concentração de proteínas (90%).

- Whey hidrolisado: além da filtragem, sofre o processo de quebra de proteínas em partículas menores, o que facilita sua absorção. Apesar de maior custo, é uma boa opção para intolerantes à lactose.

Vale ainda ressaltar que a avaliação por um profissional capacitado é fundamental antes de iniciar o consumo de whey. Como o próprio nome sugere, o suplemento deve ser incluído quando há necessidade de complementar a alimentação habitual.

Embora seja uma fonte proteica versátil e prática, não há indicação de suplementar se você já ingere a quantidade ideal para o seu objetivo.