PUBLICIDADE

Topo

Elânia Francisca

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Cobra Kai e reflexões sobre a influência de pessoas adultas na adolescência

Cena da segunda temporada de "Cobra Kai" - Divulgação
Cena da segunda temporada de 'Cobra Kai' Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Elânia Francisca

Elânia Francisca é psicóloga, especialista em gênero e sexualidade e mestra em educação sexual. Realiza atividades educativas, consultoria e supervisão nas temáticas de gênero, sexualidade e direitos sexuais e reprodutivos.

Colunista do UOL

14/01/2022 04h00

No último fim de semana eu maratonei a série Cobra Kai, que conta a história de Johnny Lawrence e Daniel LaRusso, personagens do filme Karatê Kid, lançado em 1984. A série se passa 34 anos após o torneio de karatê de All Valley e começa com Johnny Lawrence reabrindo o dojô* do Cobra Kai.

Assistir a essa série foi um momento de muita nostalgia e me transportou para a época em que eu era criança e brincava com meu tio e primos imitando alguns golpes de karatê do senhor Miyagi e Daniel San contra os malvados lutadores do Cobra Kai.

No filme Karatê Kid, toda a história da rivalidade entre Daniel e Johnny é contada do ponto de vista de Daniel LaRusso, então a figura de Johnny Lawrence, obviamente, foi reduzida ao personagem vilão.

Durante a infância eu não sabia, mas agora, como psicóloga e estudiosa, eu consigo compreender que ninguém nasce bom ou mau e que não existem mocinhos ou vilões —aliás, o conceito de maldade e bondade é bem relativo e pode mudar dependendo da cultura em que vivemos ou da criação que tivemos. O que é bom para algumas pessoas pode ser mau para outras.

A série Cobra Kai me prendeu no momento em que Johnny, aos poucos, pôde contar sua versão da mesma história narrada por Daniel em Karatê Kid e foi aí que percebi como é importante refletirmos sobre a influência de pessoas adultas na vida de adolescentes.

Para quem não assistiu Karatê Kid, vou resumir aqui: em 1984, um adolescente chamado Daniel se muda para uma cidade pequena e se interessa por uma menina de sua idade que é ex-namorada de Johnny, um garoto valentão que, junto com sua gangue, começa a atormentar Daniel. O "mocinho", entretanto, conhece o senhor Miyagi, que o ensina karatê para autodefesa. Johnny e sua gangue fazem parte de um dojô chamado Cobra Kai, que é liderado pelo sensei John Kreese, um homem de trinta e poucos anos que treina os adolescentes para atacar seus inimigos.

Na série Cobra Kai, Johnny é pai de um adolescente chamado Robby e, devido alcoolismo, exerce uma paternidade ausente, fazendo com que o garoto se sinta abandonado e se envolva com a criminalidade. Como forma de se vingar do pai, o adolescente busca trabalho na concessionária de seu rival, Daniel LaRusso, mas aos poucos começa a admirar o chefe e a treinar karatê com ele. Robby percebe que tudo que lhe falta na relação com o pai se faz presente na relação com Daniel e passa a tratá-lo como uma figura admirável e paternal.

No decorrer da série, Johnny recorda a infância também marcada pela ausência paterna e presença de um padrasto que o desmotivava o tempo todo. Foi somente ao conhecer o sensei Kreese, no inicio de sua adolescência, que Johnny sentiu que poderia ser motivado e dar orgulho a uma figura masculina que cumpriria o papel de paternidade naquele momento. Tendo o lugar de pai preenchido por Kreese, Johnny construiu sua masculinidade na adolescência, baseando-se nos ensinamentos machistas e opressores de seu sensei.

A história de vida do sensei Kreese também é contada e, coincidentemente (ou não), é na adolescência que sua narrativa se inicia. Kreese sofreu bullying por parte dos valentões da escola, que o agrediam porque sua mãe tinha questões severas de saúde mental. Na juventude, durante a Guerra do Vietnã, ele conheceu George Tuner, um homem com mais de 40 anos que o ensinou a lutar atacando e sem compaixão —mais tarde esses ensinamentos se tornariam parte do estilo Cobra Kai.

Existem muitos personagens na série que demonstram o quanto pessoas adultas, ao se tornarem figura de admiração, podem influenciar no desenvolvimento de adolescentes.

Senhor Miyagi ensinou a Daniel a importância de não atacar e só lutar para se defender quando for preciso, já Kreese ensinou a Johnny que um vencedor é aquele que ataca primeiro.

Como teria sido a história de Johnny se Kreese tivesse lhe ensinado outra postura no karatê e na vida? Como teria sido a vida de Kreese se não tivesse ido para o Vietnã e conhecido seu sensei?

Embora seja uma série ficcional, Cobra Kai pode nos ajudar a pensar sobre os impactos de pessoas adultas na vida de adolescentes.

*Dojô é um local onde se treina artes marciais japonesas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL