PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

Levi Strauss vai reembolsar gastos de funcionárias com viagens para aborto nos EUA

Manifestação reúne pessoas contra e a favor do aborto em Washington DC, nos Estados Unidos - WIN MCNAMEE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
Manifestação reúne pessoas contra e a favor do aborto em Washington DC, nos Estados Unidos Imagem: WIN MCNAMEE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP

Doyinsola Oladipo

04/05/2022 17h05

A Levi Strauss & Co anunciou nesta quarta-feira que irá reembolsar gastos de viagens para suas funcionárias de tempo integral ou parcial que precisarem ir para outros Estados norte-americanos em busca de serviços de saúde, incluindo abortos.

A empresa de vestuário, conhecida por suas calças jeans, é a mais recente empresa norte-americana a oferecer o benefício, enquanto vários estados estão reprimindo o acesso ao aborto.

A Suprema Corte dos Estados Unidos está inclinada a reverter a histórica decisão Roe vs. Wade, que legalizou o aborto em todo país, de acordo com um rascunho inicial vazado com a opinião da maioria do tribunal e que foi publicado pelo veículo Politico na segunda-feira.

"Dado o que está em jogo, líderes empresariais precisam fazer com que suas vozes sejam escutadas e precisam agir para proteger a saúde e o bem-estar de seus funcionários. Isso significa proteger seus direitos reprodutivos", afirmou a empresa em nota.

Outras companhias prometeram oferecer apoio semelhante a seus funcionários norte-americanos que precisem sair de Estados como Texas e Oklahoma, que restringiram o acesso aos serviços de aborto.

A Amazon.com, segunda maior empregadora privada dos EUA, afirmou na segunda-feira que irá pagar até 4 mil dólares em gastos de viagem anuais para tratamentos médicos, entre eles abortos eletivos.

O Citigroup se tornou em março o maior banco norte-americano a fazer um comprometimento semelhante.

Direitos da mulher