Quando surgiu o beijo grego e por que ele ganhou esse nome?

Um caso de traição em Araraquara (SP) chamou a atenção nesta semana: o pai de uma mulher teria um caso com o marido dela. O caso envolveria até um "beijo grego", que teria sido trocado entre os dois homens.

Também conhecida como cunete e anilíngua, a prática nasceu na Grécia Antiga — daí o nome mais comum, "beijo grego". Era praticada apenas por homens, durante orgias, com a intenção de lubrificar a região anal para facilitar a penetração.

Com o passar dos anos e a transformação das relações sexuais, o beijo grego começou a se tornar uma prática universal —aplicável tanto a casais homossexuais quanto heterossexuais. Com isso, aos poucos, o tabu em torno do ato foi diminuindo.

Como é um 'beijo grego'

A técnica é uma forma de usar a língua para estimular o ânus. O ato pode ser realizado tanto em homens quanto em mulheres.

A região anal é muito sensível por ser repleta de terminações nervosas. Assim, a prática pode proporcionar muito prazer, se for feita da forma correta.

Quais cuidados são necessários

Consentimento, respeito e relaxamento. Para que ambos sintam prazer, é preciso conversar e ambas as partes estarem de acordo e excitados com a ideia

A região anal não tem lubrificação natural. Por isso, é preciso usar lubrificantes, especialmente se o beijo for potencializado com brinquedos eróticos, como plugues anais ou vibradores.

Continua após a publicidade

O ânus também é muito delicado e pode ser machucado facilmente. Por isso, é preciso fazer tudo com muito cuidado.

A higiene é fundamental. A região tem uma grande concentração de bactérias. Qualquer ferida, na boca ou no ânus, pode ser a porta de entrada para infecções.

Água e sabão são suficientes para limpar a área antes da prática.

Usar preservativo também é fundamental. A proteção impede que haja o contato direto entre mucosas, que pode levar a contaminações em qualquer tipo de sexo oral.

Se a pessoa estiver com lesões, infecções ou sangramentos, o beijo não deve ser realizado.

Com informações de reportagens publicadas em 24 de junho de 2023 e em 23 de novembro de 2023.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes