PUBLICIDADE

Topo

Atriz de 'Poliana moça' tira tumor aos 16. Como diagnosticar fibroadenoma?

A atriz Sophia Valverde passou por uma cirurgia para retirar fibroadenoma - Reprodução/Instagram
A atriz Sophia Valverde passou por uma cirurgia para retirar fibroadenoma Imagem: Reprodução/Instagram

Adriano Ferreira

Colaboração para Universa, de São Paulo

26/05/2022 04h00

A atriz Sophia Valverde protagonista da novela infantojuvenil "Poliana Moça" no SBT, passou por uma cirurgia para retirar um tumor benigno do seio, chamado de fibroadenoma. No último domingo (22), a jovem teve alta do Hospital A.C. Camargo Câncer Center e ficará de repouso até o dia 29 de maio.

De acordo com o médico Renato Cagnassi, mastologista do A.C.Camargo Câncer Center, em São Paulo, responsável pela cirurgia da atriz, estima-se que em torno de 30 a 40% de todas as mulheres apresentem fibroadenomas durante a vida. Em adolescentes o nódulo é menos comum e se chama fibroadenoma juvenil.

Fibroadenoma: atriz tira tumor benigno do seio aos 16

O que é o tumor mamário benigno fibroadenoma?

Um nódulo ou tumor mamário é definido como qualquer tumoração presente na glândula mamária. Os fibroadenomas são os nódulos benignos mais comuns de mama que podem ocorrer em qualquer idade na mulher e são mais frequentes entre 15 e 35 anos, sendo presentes até a menopausa e involuir depois dela. E não são considerados como uma doença.

Como diagnosticar o fibroadenoma?

Os diagnósticos são feitos por exames de imagem de mamografia e ultrassom. Assim como qualquer caroço de mama, o objetivo principal de constatá-lo é identificar um câncer maligno que deverá ser acompanhado e obrigatoriamente tratado.

"A gente tem que ter certeza se a lesão é benigna. Se a gente não sabe, tem que fazer biópsia ou algum tipo de exame", afirma Cagnassi.

Por ser um tumor benigno, não existem danos, dessa maneira, não é preciso retirá-los quando não causam sintomas, não são palpáveis ou são pequenos. O que pode acontecer é a paciente se sentir incomodada com o nódulo e analisar com o médico o procedimento para a retirada.

O que causa este tipo de nódulo?

Guilherme Novita, médico e membro da comissão nacional de mastologia da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), informa que os fibroadenomas são causados pela alta quantidade de hormônios que o corpo feminino produz durante a puberdade e adolescência, por isso, não existe maneira de evitá-lo.

"É um efeito colateral. Aqueles hormônios que fazem o corpo da menina se transformar em mulher ao longo de dez anos tem lá os seus efeitos. Espinhas e fibroadenomas", esclarece Novita.

O surgimento também está associado após a menarca (que é o começo dos ciclos menstruais), ou na gravidez, na lactação e no uso de estrogênio, podendo gerar desconforto na região da mama.

O crescimento deste tipo de nódulo é limitado, sendo em geral de 2 cm e fica localizado na parte superior lateral do seio, porém pode aparecer em qualquer região. Em 20% dos casos podem ocorrer lesões múltiplas, uni ou bilateral. Existem possibilidades, ainda que raras, de se apresentar nas formas juvenil, gigante, complexa e extramamária.

Existe risco de câncer de mama?

Quando é constatado um fibroadenoma simples, não existem riscos de um desenvolvimento de uma doença grave para a maioria das mulheres. Apenas 0,1 a 0,3% dos casos apresentam uma transformação maligna. Caso cresçam de tamanho ou mudem de aspecto, será necessário remoção por cirurgia ou biópsias.

O risco apenas cresce um pouco se o fibroadenoma for complexo, houver tecido próximo com doença proliferativa (que se espalha fácil) ou se a paciente tiver histórico familiar de câncer de mama.

"Uma das queixas mais comuns nos consultórios de mastologia é a descoberta de um nódulo mamário, chegando a ser responsável por grande parte das consultas. Felizmente a maioria dessas pacientes (75% ou mais) apresenta uma doença benigna", explica Plinio Gasperin Jr, professor de ginecologia e mastologia da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná (FEMPAR).

Plásticas podem servir para remover?

Existem pacientes que aproveitam a conveniência de uma cirurgia plástica para remover o nódulo que, raramente, apresenta algum tipo de complicação no pós-operatório.Se apenas um fibroadenoma é retirado, será preciso a realização de um pequeno corte para a remoção.

Caso sejam vários nódulos, então a cirurgia pode se tornar mais trabalhosa e o pós-operatório exigirá maior repouso. No entanto, se os nódulos estiverem em local de difícil acesso ou mesmo se forem múltiplos, a remoção pode gerar mais traumas no tecido mamário e aumentar os riscos de sangramento na cirurgia plástica.

Em geral, como a maioria destes tumores são pequenos, estáveis e não apresentam necessidade de sempre remover nas cirurgias plásticas.