PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

Marília Mendonça levou mulheres a autoaceitação: 'Comecei a me ver bonita'

Ana Bardella

De Universa

08/11/2021 04h00

A notícia do acidente aéreo que matou Marília Mendonça e outras quatro pessoas na última sexta-feira (5) foi dolorida para o Brasil todo, mas atingiu ainda com mais força seus fãs. Para muitos deles, Marília era referência não apenas na música, mas também na vida e na forma como se posicionava.

Entrevistadas por Universa, algumas de suas fãs relembraram a postura atenciosa da cantora, que, além de abrir os camarins para fotos e ser receptiva nas portas dos hotéis pelo Brasil, também mantinha uma relação próxima com os seguidores por meio de um grupo com 1.800 pessoas no Telegram, no qual mandava áudios e mensagens com frequência.

Neste grupo, Marília falava sobre lançamentos em primeira mão, contava bastidores do trabalho e até se abria sobre questões emocionais. "Não tinha como não se sentir amigo dela", relembra Débora Menezes, 24 anos.

Além disso, a Rainha da Sofrência também usava as redes sociais para fazer desabafos, falar sobre maternidade real e, ao longo da carreira, tornou-se referência de liberdade sexual e de aceitação corporal.

Nos relatos a seguir, fãs de Marília relembram como foram impactadas positivamente pelos exemplos da cantora.

"Graças a Marília, tive coragem de usar um body pela primeira vez"

Débora usando o body que foi inspirada por Marília a comprar - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Débora usando o body que foi inspirada por Marília a comprar
Imagem: Arquivo pessoal

"Perder a Marília é como perder uma amiga: ela me acompanhava o dia inteiro nos afazeres da casa, no ônibus, no metrô, nas viagens e nos passeios. Enquanto pessoa, também me inspirava. Logo no início da carreira, começou a se impor com relação aos comentários maldosos sobre a sua aparência, dizendo que não era modelo e que o público deveria ir aos seus shows pela sua voz. Foi como se aquilo me abrisse os olhos.

Sabemos que existe um padrão para as mulheres. Mas a Marília se amava e se aceitava como era, independentemente do corpo com o qual estava. Ela era forte e me ensinou a ser também, a me olhar com mais amor.

No dia em que ela usou um cropped pela primeira vez, estava toda feliz e disse que escolheu a peça não por estar magra, mas por não se importar com os comentários alheios. Aquilo me motivou ainda mais: eu criei coragem para comprar e usar um body. Pode parecer a coisa mais simples e boba do mundo, mas para alguém que sempre lutou com a balança, foi um grande passo."

Débora Meneses, 24 anos, assistente administrativo, de São Paulo

"Sempre que a Marília falava sobre ansiedade, tinha o sentimento de que eu não era a única"

Andressa em um dos seus encontros com Marília - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Andressa em um dos seus encontros com Marília
Imagem: Arquivo pessoal

Em 2014 desenvolvi ansiedade e ainda sofro com isso. Algo que fazia com que eu me acalmasse era escutar as músicas da Marília. Um dia, em 2017, joguei um urso de presente para ela no palco, durante um show. Ela, então, fez um sinal para que eu a procurasse no camarim depois, para que déssemos um abraço.

Mesmo com as restrições de entrada, ela pediu que uma pessoa da equipe procurasse por mim e me liberasse. A partir dali, criei um fã-clube e entrei para grupos que ela mantinha com os fãs. Lá, as conversas eram diretas, sobre diferentes assuntos, e às vezes ela falava sobre se sentir ansiosa.

Ouvindo esses desabafos eu tinha o sentimento de que não era a única e que era possível achar uma solução.

Uma vez, no camarim, contei rapidamente sobre a minha melhora, e os olhos da Marília brilharam. Ela respondeu que era um conforto saber que fazia diferença na vida dos fãs, mesmo que indiretamente."

Andressa Barbosa Cordeiro, 24 anos, estudante, de São José (SC)

"Diziam que eu parecia com ela, com isso comecei a me achar mais bonita"

Maria Rita conta que Marília costumava comentar nas suas fotos do Twitter - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Maria Rita conta que Marília costumava comentar nas suas fotos do Twitter
Imagem: Arquivo pessoal

"Comecei a acompanhar o trabalho da Marília justamente porque as pessoas diziam que ela era fisicamente parecida comigo. Logo me tornei fã e lia cada declaração dela para a imprensa, assistia a cada programa do qual ela participava.

Aos poucos, a forma como ela se posicionava foi se tornando cada vez mais admirável aos meus olhos. Mesmo com todo o mundo insinuando que ela deveria emagrecer, ela simplesmente não se importava. E eu, que sou gorda e não via pessoas iguais a mim nas novelas e nos filmes, passei a me enxergar na minha cantora preferida.

Quanto mais achava a Marília bonita, mais conseguia ver beleza em mim mesma.

Um dia, postei uma selfie no Twitter e uma pessoa comentou: 'Parece a Marília Mendonça'. Ela respondeu embaixo dizendo que concordava e que eu estava linda. Tudo isso vai deixar uma saudade enorme."

Maria Rita Castilho, 19 anos, fotógrafa, de Tupã (SP)

Autoestima