PUBLICIDADE

Topo

Deputado de SC é criticado por insinuar que roupa estimula assédio a mulher

Deputado estadual de Santa Catarina Felipe Estevão (PSL) - Reprodução/Facebook
Deputado estadual de Santa Catarina Felipe Estevão (PSL) Imagem: Reprodução/Facebook

De Universa, em São Paulo

21/06/2021 11h39Atualizada em 21/06/2021 11h58

O deputado estadual de Santa Catarina Felipe Estevão (PSL) foi alvo de críticas de motoristas de aplicativo e até da ala feminina do próprio partido por uma declaração machista na qual insinua que uma mulher pode ser vítima de assédio por causa da roupa que veste.

Em um vídeo publicado —e posteriormente apagado— em suas redes sociais, o deputado —que diz ser também pastor evangélico e empreendedor— contou uma história na qual um pai evita que a filha seja assediada por um motorista de aplicativo porque a mandou trocar de roupa.

Um dia desses eu vi o relato de um pai que repreende a filha: 'com essa roupa tu não vai pra universidade'. Ela troca de roupa, vai brava, mais tarde ela volta, abraça o pai e diz: 'pai, peguei um Uber, ele era um tarado, desviou a rota, olhava para o meu corpo. Se eu tivesse com aquela roupa, ele tinha me feito mal'. Imagina se aquele homem não exercesse o seu papel.
Felipe Estevão, deputado estadual de Santa Catarina, em vídeo nas redes sociais

No vídeo, o deputado ainda segue dizendo para que as pessoas não abram mão de serem país, mulheres e líderes e para que não deixem que nada as "tire de sua função".

A reportagem entrou em contato por e-mail com o deputado e aguarda posicionamento.

Trabalhadores de aplicativos de transporte emitiram uma nota de repúdio à declaração do deputado. A nota afirma que, ao colocar o motorista do Uber numa suposta situação de abuso, o Estevão "contribui para o descrédito da categoria perante à sociedade".

"Tais declarações não coadunam com a verdade, mostrando apenas amplo desconhecimento a respeito da categoria, bem como, corroboram com a disseminação de preconceito sobre os motoristas, que trabalham de forma correta, digna e respeitando a todos, principalmente mulheres, independentemente da forma que estejam vestidas", diz a nota.

Crítica no próprio partido

A ala feminina do PSL de Santa Catarina também publicou uma nota de repúdio à declaração do deputado e disse que ele foi "extremamente infeliz ao ofender toda uma classe de trabalhadores".

"O PSL/Mulher-SC, vem a público manifestar sua indignação ao vídeo postado pelo deputado estadual Felipe Estevão, onde o mesmo foi extremamente infeliz ao ofender toda uma classe de trabalhadores que são os motoristas de aplicativo da plataforma Uber, bem como as insinuações de que uma mulher não pode se vestir com roupas que não sejam adequadas aos padrões machistas, que ainda são visíveis em nossa sociedade", diz a nota.

O texto ainda manda um recado direto ao deputado e diz que as mulheres têm o direito de se vestirem como quiserem sem serem assediadas.

"Nobre deputado, mulher pode sim vestir o que quiser sem ser assediada; mulher pode sim exercer o seu direito de ir e vir sem ser importunada; porque lugar de mulher é onde ela quiser", afirma a nota.