PUBLICIDADE

Topo

Moda

Adolescente capixaba é aposta da Chanel em desfile: "Me senti uma princesa"

Raynara Negrine nasceu em cachoeiro do Itapemirim (ES) e mora em Nova York - Divulgação/JOY Model
Raynara Negrine nasceu em cachoeiro do Itapemirim (ES) e mora em Nova York Imagem: Divulgação/JOY Model

Mariana Gonzalez

De Universa, em São Paulo

06/02/2021 04h00

Já imaginou começar a carreira direto no emprego dos sonhos? Foi mais ou menos o que aconteceu com a modelo brasileira Raynara Negrine, de 17 anos, que há uma semana estreou sua carreira internacional desfilando para a Chanel, no tradicional Grand Palais, em Paris.

Na França, ela tem contrato de exclusividade com a grife; no Brasil, figurou entre as recordistas em número de desfiles na São Paulo Fashion Week. A jovem também tem contrato com agências nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Itália, na Alemanha e nos Emirados Árabes.

Em entrevista para Universa, Raynara lembra como o sonho de seguir carreira na moda começou: aos 5 anos de idade, em Cachoeiro do Itapemerim (ES), desfilando pela casa com vestidos feitos de sacola de supermercado e sapatos de salto da mãe, que era empregada doméstica (o pai morreu quando ela ainda era criança).

"Não me parecia um sonho possível, porque eu não sabia nem por onde começar: eu não tinha informação, a situação financeira era apertada, e fui descobrindo tudo aos poucos", afirma. "Mas minha mãe sempre me apoiou, mesmo com todos os medos e a superproteção".

Rayanara Negrne - Divulgação/JOY Model - Divulgação/JOY Model
As maiores referências de Raynara na carreira de modelo são Gisele, Lais Ribeiro e Adut Akech
Imagem: Divulgação/JOY Model

Suas maiores referências? "Quando eu era criança, a Gisele, porque era brasileira e estava em todo lugar: TV, revistas, jornais. Mais tarde, Lais Ribeiro e Adut Akech [modelo sul-sudanesa de 21 anos]".

Sonho de princesa

Raynara foi morar em Nova York no ano passado, depois de uma curta temporada morando em São Paulo, e em menos de seis meses recebeu a notícia de que seu primeiro trabalho fora do Brasil seria um desfile da Chanel, no Grand Palais — locação tradicional da grife para seus desfiles — e com contrato de exclusividade.

"Quando me disseram, demorou para minha ficha cair, não achei que fosse para a Europa tão cedo. Uma menina que saiu de Cachoeiro de Itapemirim e num piscar de olhos estava trabalhando para Chanel, em Paris. Fiquei pasma. Na verdade, só acreditei quando cheguei lá no desfile. Me senti uma princesa"

Ela continua: "Eu olhava para o lado e não acreditava naquela estrutura do Grand Palais, enorme, vazio. Achei tudo incrível".

Raynara participou do desfile do último 26, que mostrou a coleção de alta costura da grife para a temporada primavera-verão 2021. Na plateia da apresentação, apenas algumas embaixadoras da grife francesa, como Penélope Cruz e Marion Cotillard.

Agora, Raynara comemora o fato de poder ajudar a mãe, que é empregada doméstica, mas está há dois anos desempregada.

"Quando criança, numa realidade bem humilde, eu sonhava em ser maquiada, desfilar, trabalhar com isso. Quando vi que isso tudo estava acontecendo comigo, fiquei muito feliz. Sempre sonhei em dar uma vida melhor para minha mãe. Quero dar a ela uma casa própria e trabalhar muito para mudar a nossa realidade, que sempre foi de uma vida simples e humilde".

Raynara Negrine desfile chanel grand palais - Reprodução/Chanel - Reprodução/Chanel
Raynara foi a única brasileira no desfile que mostrou a coleção de alta costura primavera-verão 2021 da Chanel
Imagem: Reprodução/Chanel

Errata: o texto foi atualizado
Além de Raynara Negrine, Cris Hermann e Anita Pozzo também desfilaram pela Chanel esse ano

Moda