PUBLICIDADE

Topo

Universa

EUA querem banir o app preferido dos seus filhos; o que você precisa saber

TikTok - Reprodução
TikTok Imagem: Reprodução

Mariana Toledo

Colaboração para Universa

20/09/2020 04h00

Na sexta-feira, o departamento de Comércio dos Estados Unidos anunciou que os downloads dos aplicativos chineses TikTok e WeChat estarão proibidos no país a partir deste domingo, 20, sob a alegação de que eles ameaçam a segurança nacional, uma vez que podem usar suas plataformas para acessar dados sigilosos dos usuários.

Dentro de um contexto de tensão entre China e EUA, o presidente americano Donald Trump já vinha fazendo esse tipo de ameaça havia algum tempo. O WeChat será completamente banido já, mas o TikTok ainda tem até 12 de novembro para entrar em acordo com os Estados Unidos, e , enquanto isso, ele ainda pode ser utilizado.

Como funciona o aplicativo

O TikTok não se posiciona como uma rede social, mas como uma plataforma global de produção de vídeos curtos, criativos, divertidos e autênticos para dispositivos móveis. Dentro da plataforma, usuários fazem dublagens, desafios engraçados e coreografias de dança. Ou seja, acertou em cheio um público infantil e adolescente ávido por novidades e brincadeiras.

Disponível nos dispositivos iOS e Android desde 2017, o aplicativo cresceu no Brasil em 2019 e, neste ano, especialmente a partir da quarentena, conquistou os brasileiros de vez. Em abril, no pico da pandemia, foram um bilhão de instalações.

Se relacionando com os influenciadores digitais, a plataforma se popularizou principalmente entre o público mais jovem, que representa a grande maioria dos usuários. No TikTok, eles se divertem, interagem entre si e também com famosos e têm sua criatividade estimulada.

O serviço permite que todos sejam criadores de conteúdo e encoraja seus usuários a compartilharem seus hobbies e paixões por meio desses vídeos. No entanto, como em qualquer rede social, fica a preocupação a respeito de privacidade e do uso de dados pessoais dos "TikTokers" que podem ser coletados ali.

Sobre o risco apontado pelos Estados Unidos, Universa consultou a empresa. "Discordamos da decisão do Departamento de Comércio e estamos desapontados por defender o bloqueio de novos downloads do aplicativos a partir de domingo e o banimento do uso do aplicativo TikTok nos EUA a partir de 12 de novembro. Nossa comunidade de 100 milhões de usuários nos EUA ama o TikTok porque a plataforma é um destino para entretenimento, auto-expressão e conexão. Temos o compromisso de proteger a privacidade e a segurança dos usuários enquanto seguimos trabalhando para levar alegria às famílias e oferecer carreiras significativas para aqueles que criam em nossa plataforma".

Conforme explicamos acima, existe uma abertura para que a plataforma sugira um possível acordo com o país. Nesse sentido, a empresa afirma, por meio de nota, que já se comprometeu com transparência e responsabilidade "muito além do que outros aplicativos estão dispostos a fazer", se submetendo a auditorias externas.

O porta-voz da plataforma segue dizendo que, além de tudo isso, um provedor de tecnologia americano seria responsável por manter e operar a rede TikTok no país, que incluiria todos os serviços e dados que atendem aos consumidores dos EUA.

Afinal, o TikTok é seguro para crianças?

Desde o início da pandemia, quando as instalações do aplicativo cresceram de forma mais intensa, o TikTok tem anunciado uma série de medidas de segurança, passando por exemplo pelo aumento da equipe especializada na área. E, em meados de abril, a empresa anunciou a "Sincronização Familiar", funcionalidade que permite que pais e adolescentes personalizem suas configurações de segurança com base em suas necessidades individuais. Para as mães que estão preocupadas com a vida online dos filhos dentro da plataforma, as dicas são:

  • Gerenciamento de tempo da tela: Com a função, dá para controlar quanto tempo os jovens podem gastar no TikTok por dia. A plataforma afirma ainda que tem feito parcerias com os principais criadores de conteúdo para que eles desenvolvam vídeos informativos sobre a importância desse controle de tempo, oferecendo como sugestão que sejam feitas pausas para praticar atividades offline, como a leitura de livros, por exemplo.
  • Modo restrito: É possível restringir a aparência do conteúdo que pode não ser apropriado para todos os públicos. Mesmo sem a Sincronização Familiar ativada, pais e responsáveis podem ajudar jovens a definir o gerenciamento de tempo da tela e o modo restrito, visitando os controles de bem-estar digital do aplicativo.
  • Mensagens diretas: É o recurso que limita quem pode enviar mensagens para a conta conectada ou desativa completamente as mensagens diretas. TikTok possui políticas e controles para mensagens - por exemplo, apenas seguidores aprovados podem enviar mensagens uns aos outros e não é permitido que imagens ou vídeos sejam enviados em mensagens. Desde abril, as mensagens diretas para contas registradas de menores de 16 anos estão desabilitadas.

O TikTok lançou no Brasil uma campanha que orienta e incentiva os usuários a não participarem de tendências e desafios que gerem riscos à sua integridade física.

Universa