PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

Mulheres se sentem sobrecarregadas durante isolamento social, diz pesquisa

A tarefa de cuidar dos filhos e ajudá-los nas aulas a distância, por exemplo, recai mais sobre elas, segundo pesquisa - Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images
A tarefa de cuidar dos filhos e ajudá-los nas aulas a distância, por exemplo, recai mais sobre elas, segundo pesquisa Imagem: Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images

De Universa, em São Paulo

14/07/2020 14h20

Uma pesquisa realizada pelo grupo Mulheres do Varejo com pessoas que trabalham de forma direta ou indireta na área mostrou como o impacto da pandemia do novo coronavírus se mostra diferente entre homens e mulheres profissional e pessoalmente.

O levantamento mostrou que para 39% dos homens não houve medo nem pavor no início do isolamento social, enquanto apenas 18% das mulheres sentiram o mesmo. As mulheres — um terço — também se cobraram mais no início com relação à produtividade, como participação em cursos e prática de exercícios físicos.

A adaptação ao isolamento social para metade das mulheres e dos homens foi mais difícil no início, no que diz respeito a estabelecer uma nova rotina — as mulheres disseram se sentir mais sobrecarregadas.

Para 1/4 delas, a maioria das tarefas domésticas ficou sob a sua responsabilidade, enquanto metade dos homens acredita que divide e continua a dividir as tarefas domésticas com as mulheres. A tarefa de cuidar dos filhos e ajudá-los nas aulas a distância, por exemplo, recai mais sobre elas.

Dois terços das mulheres também relataram não se sentirem confortáveis e apresentaram dificuldades de conciliar a nova rotina de trabalho com as tarefas domésticas. Embora metade dos homens ache que as mulheres estão dando conta, há a percepção de que elas estão trabalhando muito mais, somado a carga de tarefas doméstica.

Pontos positivos

Fazer atividades em família foi um dos pontos positivos do isolamento abordados por homens e mulheres. Para 1/3 das mulheres, práticas como a meditação também tem ajudado a passar pelo momento de turbulência.

Outro ponto positivo abordado foi a mudança de prioridades: as mulheres disseram estar muito mais voltadas para seu interior, cuidando da saúde mental, bem-estar e alimentação.

As palavras que mais representam o momento atual para 2/3 das mulheres e 1/2 dos homens são: Esperança, Resiliência, Fé, Confiança, Empatia, Reflexão, Introspecção, Aprendizado e Autoconhecimento, enquanto palavras como Angústia, Estresse, Cansaço e Insegurança apareceram com menos relevância.

A pesquisa foi feita em duas fases online, a primeira qualitativa —somente com mulheres — e depois quantitativa, com mulheres e homens. Em ambas as fases, houve uma mescla de participantes com filhos pequenos e jovens e sem filhos; com e sem ajuda doméstica e que estivessem em isolamento social ou saindo para trabalhar.

Direitos da mulher