PUBLICIDADE

Topo

Fox News demite âncora por alegação de 'má conduta sexual'

Ed Henry durante o programa "America"s Newsroom", da Fow News - Reprodução / Fox News
Ed Henry durante o programa "America's Newsroom", da Fow News Imagem: Reprodução / Fox News

De Universa, em São Paulo

01/07/2020 11h37Atualizada em 01/07/2020 15h18

A Fox News demitiu hoje o âncora Ed Henry. A rede de televisão norte-americana tomou a decisão após a acusação assédio sexual por uma ex-colega de trabalho do jornalista — de acordo com a vítima, a situação teria ocorrido há alguns anos. A empresa descreveu o caso como "má conduta sexual no local de trabalho".

Segundo informações da CNN, um e-mail foi enviado aos funcionários da emissora na manhã de hoje, comunicando que uma ex-funcionária da Fox News havia prestado queixa na última quinta-feira (25) contra Henry.

"Na quinta-feira, 25 de junho, recebemos uma reclamação sobre Ed Henry do advogado de uma ex-funcionária envolvendo má conduta sexual intencional no local de trabalho anos atrás", escreveram Suzanne Scott, presidente-executiva da Fox News, e o presidente Jay Wallace, no e-mail.

A rede respondeu a denúncia contra Henry tirando o âncora do ar e iniciando uma investigação independente.

"A Fox News Media proíbe estritamente todas as formas de assédio sexual, má conduta e discriminação", disseram Scott e Wallace ainda no mesmo e-mail. "Continuaremos nos esforçando para manter um local de trabalho seguro e inclusivo para todos os funcionários."

O advogado Douglas Wigdor, que já representou outras mulheres que entraram com ações contra a Fox News, disse em comunicado hoje que ele é o responsável pela defesa da vítima. No entanto, pontuou que "atualmente não tem liberdade para compartilhar mais informações".

Procurado pela CNN, Henry não respondeu aos questionamentos do veículo.

Ed Henry se juntou à Fox em 2011, após sete anos na CNN, e foi nomeado co-âncora do programa de notícias da manhã "America's Newsroom" em dezembro do ano passado. Até que seu substituto seja escolhido, ele será substituído por "âncoras rotativos".

Em julho de 2016, o então presidente da Fox News, Roger Ailes, deixou a rede depois de uma investigação externa feita após denúncia da ex-âncora Gretchen Carlson.

Violência contra a mulher