PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

Modelo Loiane Bienow fala sobre busca pela perfeição: 'Corpo pediu socorro'

"Eu vivia em constante dieta e procedimentos estéticos", relembra a modelo - Reprodução/Instagram
"Eu vivia em constante dieta e procedimentos estéticos", relembra a modelo Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa, em São Paulo

26/06/2020 18h59

A capixaba Loiane Bienow tinha apenas 12 anos de idade quando se tornou modelo profissional. Desde então, já desfilou para marcas como Alexandre Herchcovitch, Rosa Chá e Cavalera e fez editoriais para revistas como Vogue, Elle e Nova.

Com o passar dos anos, começou a perceber que a pressão estética da profissão não lhe fazia bem: "Eu vivia em constante dieta e procedimentos estéticos, como drenagem e aplicações, além de [usar] medicamentos para emagrecer via oral, sempre em busca do corpo ideal", conta em entrevista à revista Vogue.

No entanto, Loiane lembra que demorou para ouvir os sinais que seu corpo lhe dava:

"Ao longo dos anos, meu corpo começou a pedir socorro, mas não ouvi, até o dia em que tive uma infecção assintomática e fiquei cinco dias internada. Ali percebi que não valia a pena colocar minha saúde em risco por um corpo considerado perfeito."

Depois de muito trabalho para mudar sua forma de pensar e aceitar seu corpo natural, a modelo conseguiu retomar sua carreira — agora, no mercado "curvy" (curvilínea):

"É notável que, de alguns anos para cá, a moda brasileira começou a ver que o corpo real vende tanto quanto o corpo 'padrão'. Em outros lugares, como Nova Iorque, o mercado curvy já existe há muito tempo."

Ela conta que ainda enfrenta preconceito em seu dia a dia, mas a partir do momento em que conseguiu mostrar que estava bem e feliz com o próprio corpo, a modelo passou a se importar menos.

Autoestima