PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

Flavia Pavanelli fala sobre depressão: 'Não era a mesma pessoa'

Flavia Pavanelli se abriu sobre período teve depressão - Reprodução/Instagram @flaviapavanelli
Flavia Pavanelli se abriu sobre período teve depressão Imagem: Reprodução/Instagram @flaviapavanelli

De Universa, em São Paulo

24/06/2020 11h22Atualizada em 24/06/2020 12h42

A atriz Flavia Pavanelli fez um desabado sobre o período em que lutou contra a depressão. Em entrevista à Quem, ela contou que passou a fazer as coisas no automático e perdeu o prazer que sentia com as rotinas do cotidiano.

Os primeiros alertas não foram observados por Flavia, que confessou que demorou para entender que precisava parar para cuidar de sua saúde mental.

"Eu não tinha traços [de depressão], mas por dentro sabia que não era a mesma pessoa. Talvez tenha passado por isso para aprender o limite e saber o que pode me fazer mal", relatou a atriz.

A estrela de "As Aventuras de Poliana" disse que o excesso de trabalho a impedia de ter um tempo de descanso.

"Por sempre trabalhar muito, não me dava tempo e não me respeitava. Em determinado momento, passei a não ter mais prazer pelo que fazia, abria minha agenda e seguia a rotina, e repetia no dia seguinte", contou à Quem.

A depressão começou a ser percebida por Flavia no meio do ano passado, mas no fim do ano veio o que ela categorizou como "baque grande". "Foi difícil o momento de saber dosar e focar na minha saúde mental. Foi uma fase em que as pessoas entenderam."

"Falei abertamente para as pessoas que estava num período difícil, até para alertá-las", disse a influenciadora, que defende a necessidade de expor as dificuldades do processo para encorajar outras pessoas a olharem com mais cuidado para sua saúde mental.

"Sou muito transparente. Falo abertamente sobre tudo o que aconteceu na minha vida, como a depressão."

Ela contou que precisou buscar atividades prazerosas que não estivessem relacionadas diretamente ao trabalho e acabou encontrando nos quebra-cabeças, na pintura e na maquiagem um refúgio.

"Preciso ficar achando coisas para fazer para não ficar com a mente vazia, porque me faz mal. Mas também me permito ficar o dia inteiro de pijama quando quero", disse.

Autoestima