PUBLICIDADE

Topo

Atriz de Aruanas cria projeto para auxiliar vítimas de violência doméstica

Thainá Duarte - Reprodução/Instagram
Thainá Duarte Imagem: Reprodução/Instagram

De Universa, em São Paulo

16/06/2020 10h34

Thainá Duarte, 24, atriz da série "Aruanas", criou o "Estou aqui para contar", um projeto que irá auxiliar mulheres vítimas de violência doméstica. A decisão do projeto ocorreu há um mês após uma amiga da atriz ser agredida e levar sete facadas de um ex-namorado, além dos relatos de mulheres que se identificam com sua personagem na trama da Rede Globo.

Na série, Thainá interpreta a estagiária de uma ONG voltada para a proteção do meio ambiente. Enquanto ela trabalha, seu ex-namorado a persegue, mesmo após o término do relacionamento abusivo.

Entre as primeiras ações do projeto está um vídeo — que será divulgado hoje no Instagram do projeto e nas contas de pessoas e instituições envolvidas com a iniciativa — no qual Thainá, junto com outras 17 mulheres, leem o mesmo texto. Do total de mulheres que aparecem no vídeo, 10 já sofreram violência doméstica e outras sete são especialistas no tema.

Entre as pessoas que aparecerão no vídeo estão, por exemplo, Maria da Penha, farmacêutica vítima de dupla tentativa de homicídio que foi agredida e levou tiros do seu ex-marido — a agressão a fez ficar paraplégica.

Em 2006 foi sancionada a lei conhecida popularmente como "Lei Maria da Penha" — em referência à luta de Maria da Penha para a justiça punir seu agressor —, que aborda a violência contra a mulher devido ao seu gênero.

A atriz disse que o projeto não é somente para debater o tema da violência doméstica, mas também um modo de arrecadar recursos e apoiar financeiramente locais que ajudem no enfrentamento deste tipo de agressão.

"Uma coisa muito importante quando se fala nesse tema é abrir espaço para o diálogo, para que elas se abram. Então um dos objetivos maiores é criar um espaço nas mídias sociais para que as mulheres contem seus relatos. Às vezes, contar já é de alguma forma ajudar. Além disso, no perfil do projeto no Instagram vamos vincular projetos sociais de enfrentamento à violência doméstica para reunir doações. Vamos não só falar, prevenir e fortalecer, mas também apoiar financeiramente essas instituições", disse Thainá ao site do jornal O Globo, em entrevista publicada hoje.

A partir de 23 de junho, serão divulgadas às terças-feiras, no Instagram do projeto, entrevistas com quatro mulheres que foram vítimas de agressão e um homem ex-agressor. O projeto ainda contará com cerca de cinco lives com especialistas sobre os temas de relacionamento abusivo, como identificar e romper este ciclo, os tipos de violência e como elas geralmente ocorrem.

Direitos da mulher