PUBLICIDADE

Topo

Suspeito de matar miss é preso em cabana na fronteira com Venezuela

Kimberly Mota - Arquivo Pessoal
Kimberly Mota Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para Universa

15/05/2020 20h38Atualizada em 16/05/2020 15h25

A Polícia Militar de Roraima prendeu na tarde de hoje o suspeito de assassinar a miss Manicoré e finalista do Miss Amazonas 2019, Kimberly Karen Mota de Oliveira, 22. O homem, de 31 anos, é ex-namorado da modelo, encontrada morta a facadas na terça-feira (12) no apartamento dele, em Manaus.

Segundo a Polícia Civil do Amazonas, o suspeito, que é servidor da Justiça do Trabalho, estava escondido em uma cabana em uma região de mata em Pacaraima (RR), na fronteira com a Venezuela. A suspeita é de que ele estaria planejando fugir para a Espanha através do país vizinho.

Equipes da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) de Manaus se deslocaram até a fronteira com a Venezuela para conduzir o suspeito de volta para o Amazonas.

"Outras informações, como as circunstâncias da prisão do infrator, bem como chegada das equipes em Manaus, serão repassadas posteriormente", informou a Polícia Civil, em nota enviada para Universa.

Suspeito estava escondido em uma cabana em uma região de mata em Pacaraima (RR) - PM RR/Divulgação
Suspeito estava escondido em uma cabana em uma região de mata em Pacaraima (RR)
Imagem: PM RR/Divulgação

De acordo com a investigação, o servidor público entrou em Roraima na segunda-feira, um dia depois do registro do desaparecimento de Kimberly. A família notou que algo estava errado quando a miss deixou de responder às mensagens. A última troca de mensagens da modelo com um parente foi com a mãe.

Os investigadores descobriram que o suspeito estava em Roraima após o registro da entrada dele no estado na barreira sanitária montada na divisa com o Amazonas. Além disso, o carro do ex-namorado da miss foi localizado capotado na BR-174, em território roraimense.

O suspeito seguiu viagem após o acidente ao pegar carona com um caminhoneiro. Em Boa Vista, ele continuou até Pacaraima depois de contratar um taxista, informou a DEHS. A hipótese da fuga para a Espanha surgiu após a polícia apurar que o ex-namorado da modelo tem parentes no país europeu.

O crime

Segundo a Polícia Civil, o corpo da modelo estava dentro do apartamento do ex-namorado, que é natural de São Bernardo do Campo (SP). Ele é funcionário público do Tribunal de Regional do Trabalho (TRT) e mora há pouco tempo em Manaus, após passar por um processo de separação da ex-mulher.

A modelo foi encontrada em um imóvel na avenida Joaquim Nabuco. A principal hipótese para a motivação do crime seria o fim do relacionamento do casal. O namoro do casal durou apenas dois meses, apurou a polícia.

Após Kimberly passar dois dias sem contato, uma amiga acionou um tio, que indicou à Polícia Militar (PM) onde o ex-namorado da jovem mora, no centro de Manaus. Os militares arrombaram o imóvel e avistaram o corpo.

A amiga apontou o endereço porque Kimberly saiu no carro do suspeito do local onde elas estavam. A arma supostamente usada no crime ainda estava na varanda do apartamento.

Parentes e amigos ouvidos por Universa contaram que a atual miss Manicoré virou orgulho e referência na cidade de 55 mil habitantes, depois de levar o nome do município à final do Miss Amazonas 2019.

Ela também vivia um sonho antigo. De família humilde, a miss entrou na faculdade de odontologia depois de concluir o curso de técnico em enfermagem.

Violência contra a mulher