PUBLICIDADE

Topo

Miss é encontrada morta a facadas em Manaus; ex-namorado é suspeito

Kimberly Karen Mota de Oliveira, miss Manicoré, foi encontrada morta em apartamento em Manaus - Reprodução/Facebook/Kimberly Karen
Kimberly Karen Mota de Oliveira, miss Manicoré, foi encontrada morta em apartamento em Manaus Imagem: Reprodução/Facebook/Kimberly Karen

Abinoan Santiago

Colaboração para Universa, em Ponta Grossa (PR)

12/05/2020 12h10

A miss Manicoré, Kimberly Karen Mota de Oliveira, 22, foi encontrada morta hoje em um apartamento no centro de Manaus. Finalista do concurso Miss Amazonas Universo 2019, a modelo apresentava perfurações de arma branca pelo corpo. De acordo com a Polícia Civil, um ex-namorado é o principal suspeito, mas a identidade dele não foi revelada.

Kimberly estava desaparecida desde a noite de anteontem, quando deixou de responder as mensagens dos familiares, que moram no interior do Amazonas.

Segundo a Polícia Civil, a modelo estava dentro do apartamento do ex-namorado, que é natural de São Bernardo do Campo (SP). Ele seria funcionário público do Tribunal de Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo e estaria há pouco tempo em Manaus, após passar por um processo de separação da ex-mulher.

A modelo foi encontrada com três perfurações de facadas em um imóvel na avenida Joaquim Nabuco. A arma supostamente usada no crime foi encontrada pela perícia ainda no apartamento. Segundo a Polícia Civil, o namoro do casal durou apenas dois meses.

"Ele é paulista e estava tendo um relacionamento com ela, que durou dois meses. A modelo pôs fim à relação e, no domingo, esse suspeito foi buscá-la no local em que morava e hoje ela foi encontrada no apartamento dele. A arma foi encontrada na varanda", explicou a delegada Zandra Ribeiro em entrevista a Universa.

Em Manaus, a modelo morava com uma amiga, que virou a principal testemunha do caso. Ela informou à Polícia Civil que viu Kimberly entrando no carro do suspeito no domingo. O automóvel seria um Audi A5 de cor branca. Às 0h31, o corpo foi encontrado no imóvel pela Polícia Militar, após atender um pedido de um tio de uma amiga com quem a modelo morava.

"Ele foi buscá-la na casa de uma amiga. Ela a viu entrando no carro dele. Nós acreditamos que eles (Kimberly e o suspeito do crime) tiveram alguma briga, acabando ocorrendo essa tragédia", relatou a delegada.

O caso é investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A investigação apurou que o Aeroporto Internacional de Manaus não registrou a saída do suspeito por via aérea desde do dia do crime.

A Polícia Civil ainda afirmou ter poucas informações sobre o suspeito, que tem 31 anos. A investigação quer saber, por exemplo, a motivação da ida dele para Manaus, já que era funcionário do TRT em São Paulo.

"Não temos umas informações. O que sabemos é de que ele estava no TRT de São Paulo e estava há pouco tempo em Manaus. Encontramos a identidade e o crachá funcional no apartamento. Não sabemos se ele veio para cá apenas pelo relacionamento, mas temos de informação é que estava separado da esposa", finalizou Zandra Ribeiro.

Nas redes sociais, amigos e familiares compartilharam homenagens na linha do tempo da modelo.

"Uma vida ceifada por um assassino. Meninas, acordem. Não confiem em namorado. Pais, acordem. Não deixem seus filhos com qualquer pessoa. Tiraram a vida de uma prima minha. Tinha uma vida pela frente", publicou um internauta que se identificou como primo da vítima.

Violência contra a mulher