PUBLICIDADE

Topo

Violência contra a mulher

Ministério da Mulher lança campanha contra violência doméstica na pandemia

Damares Alves no Conselho de Direitos Humanos da ONU - Fabrice Coffrini / AFP
Damares Alves no Conselho de Direitos Humanos da ONU Imagem: Fabrice Coffrini / AFP

De Universa

15/05/2020 12h27

O Ministério da Mulher e da Família lançou hoje uma companha de conscientização e enfrentamento à violência doméstica na manhã de hoje. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) esteve presente no evento de lançamento, mas não discursou nem atendeu a imprensa.

A ministra Damares Alves afirmou que durante a quarentena, o Disque 180, canal que recebe denúncias de violência contra as mulheres, recebeu 35% a mais de denúncias em abril, em relação a março.

Enquanto isso, as denúncias de violência contra a criança no Disque 100 caíram 18%. Damares alertou que essa queda não é um bom indicativo, já que "a maioria de violência contra a criança a gente descobre na escola ou na creche e as escolas estão fechadas por conta da pandemia", disse.

Para tentar reduzir esses problemas, a ministra anunciou o lançamento de um aplicativo por onde as denúncias poderão ser feitas sem que a vítima precise ligar.

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, também discursou no evento e disse que um dos focos dessa campanha é a proteção de pessoas com deficiência. "Esse público não denunciava, não tinha voz. A violência contra a mulher, criança ou adolescente deficiente só era descoberta quando a vítima engravidava", lamentou Michelle.

Ela lembrou ainda que com o aplicativo pessoas surdas também poderão fazer a denúncia usando libras.

Campanha

Com duas semanas de divulgação, a campanha será compostas por peças gráficas, materiais para internet, spots e vídeos, que serão veiculadas na TV, em minidoor sociais de comunidades, no mídia indoor de condomínios, em carros de som, em rádios comunitárias e na internet.

Canais de atendimento

O Disque 100 e o Ligue 180 são gratuitos e funcionam 24 horas por dia, inclusive em feriados e no final de semana, recebendo mais de 11 mil ligações diárias. Dessas, aproximadamente mil são denúncias de violações de direitos humanos.

Segundo o Ministério, os canais funcionam como "pronto-socorro" dos direitos humanos, pois atendem também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes e possibilitando o flagrante.

Violência contra a mulher