PUBLICIDADE

Topo

Petição quer tirar da prisão iraniana que levou flores a trem em 8 de março

Yasaman Aryani  - Divulgação
Yasaman Aryani Imagem: Divulgação

De Universa

07/03/2020 10h43

Em 2019, a atriz e ativista Yasaman Aryani foi presa pelo governo do Irã após um vídeo em que ela distribui rosas num vagão feminino ter viralizado nas redes sociais. A ação aconteceu no dia 8 de março e a jovem foi condenada a 16 anos de detenção. Na manifestação pacífica, ela fez um discurso pela liberdade de a mulher vestir o que bem entender.

A prisão de Yasaman gerou reação: a Anistia Internacional incluiu a ativista na campanha "Escreva por Direitos", uma iniciativa em defesa dos direitos humanos que, neste ano, tem como tema a juventude. A estratégia é incentivar apoiadores a mandarem mensagens para o governo iraniano pela libertação dela e, segundo o órgão, "de outras mulheres privadas dos seus direitos de manifestação e de liberdade de expressão". Veja como participar.

Yasaman presa pelo "abandono do véu"

A Anistia Internacional está recolhendo assinaturas para apoiar Yasaman. Até agora, a campanha já reuniu o cadastro de mais de 57 mil pessoas.
De acordo com a Anistia, a punição de 16 anos de prisão - dos quais a jovem precisa cumprir pelo menos dez - "se insere num contexto mais amplo de repressão às mulheres que protestam contra as leis iranianas que obrigam o uso do véu".

Como ajudar

Em seu site, a Anistia promove a ação "Pela liberdade das mulheres iranianas: ajude a libertar Yasaman". Os voluntários podem assinar a petição, que será enviada às autoridades iranianas para "libertar incondicionalmente Yasaman Aryani da prisão e todas as pessoas que defendem os direitos das mulheres e têm sido detidas por protestarem pacificamente contra o uso obrigatório do véu".

Nas redes sociais, a mobilização sugerida é repetir o gesto de Yasaman de entrega de flores e marcar seu perfil (@yasamanaryani95) e o do perfil do líder irariano (@khamenei_ir) com usando a hashtag: #FreeYasaman.

Direitos da mulher