PUBLICIDADE

Topo

Saindo da Coroa, Meghan Markle retoma agenda com grupo feminista

Stella McCartney posta foto de Meghan Markle vestindo casaco de sua grife no Remembrance Day - Reprodução
Stella McCartney posta foto de Meghan Markle vestindo casaco de sua grife no Remembrance Day Imagem: Reprodução

Marcos Candido

De Universa

16/01/2020 12h37

De saída da Família Real Britânica, Meghan Markle já retoma a agenda a favor dos direitos das mulheres. Na terça (14), ela esteve em Vancouver, no Canadá, para discutir mudanças climáticas com e direitos dos povos indígenas. A instituição feminista dá palestra sobre direitos da mulher, diretos humanos e monitora o sistema judiciário e penitenciário em relação às mulheres.

Neste mês, Meghan anunciou que vai abdicar ao título real para viver com Harry nos Estados Unidos. O casal será independente da família, inclusive financeiramente.

Apesar das restrições da Coroa britânica até agora, a duquesa deve ampliar a agenda de ativismo em relação às mulheres que tinha antes do casamento. Aqui e ali, ela deu amostras sobre como o assunto é importante a ela.

Meghan Markle faz aparição pública após abrir mão da função na Família Real  - Divulgação
Meghan Markle faz aparição pública após abrir mão da função na Família Real
Imagem: Divulgação

Em seu primeiro discurso internacional, em Fiji, em 2018, Meghan defendeu o direito à educação para as garotas. "Quando elas têm as ferramentas para serem bem-sucedidas, são capazes de criar futuros incríveis, não só para elas, mas para todos ao seu redor". Ela voltou ao assunto um ano depois, em viagem à África do Sul.

"Quando uma mulher é empoderada, isso muda absolutamente tudo na comunidade, e criar uma atmosfera educativa é um ponto central disso", disse a duquesa de Sussex durante uma mesa redonda com acadêmicos e estudantes. A primeira integrante negra da Família Real também formou uma equipe 100% feminina para trabalhar com ela nos compromissos reais.

Ela tocou em assuntos até mais polêmicos, como o direito ao aborto. Quando esteve na Irlanda, em julho, a imprensa local afirmou que Meghan elogiou como um passo importante ao abolir a proibição à interrupção da gestação. A postura foi vista como uma quebra de protocolo incomum.

Direitos da mulher