PUBLICIDADE

Topo

Universa

Lego é acusada de machismo por dizer que mulheres são inadequadas à ciência

Reprodução
Imagem: Reprodução

De Universa, em São Paulo

19/12/2019 13h30

A revista produzida pela Lego, conhecida pelos seus brinquedos de montagem, está sendo acusada de machismo após publicar, em uma de suas histórias, um diálogo entre duas personagens em que uma delas diz que "mulheres seriam inadequadas" dentro de um grupo de cientistas.

O desenho apresentado na edição número 66 da Lego Friends, voltada para o público feminino entre 7 a 11 anos, mostra duas jovens discutindo sobre irem ou não até uma reunião.

"Acho que devemos secretamente ir à reunião também, caso Carter tente algo furtivo", diz uma delas, respondida por uma amiga: "Você está certa, não podemos entrar lá. Um grupo de garota entre os pesquisadores, é inadequado".

O grupo de meninas acaba então decidindo que todas se vestirão de padeiro e dar muffins para os cientistas para que "ninguém suspeitasse de nada".

As tirinhas foram amplamente criticadas nas redes sociais. "Isso é uma vergonha para a marca", escreveu uma delas. "Removam essa porcaria machista", repudiou outra usuária.

Com a repercussão, a Lego emitiu um comunicado por meio do seu porta-voz, pedindo desculpas e admitindo que a história "errou o alvo".

"Acreditamos que devemos servir a todos e nossas revistas devem refletir isso. Com essa história, estávamos tentando mostrar que as garotas têm muitos interesses e paixões diferentes, incluindo a ciência, mas admitimos ter abordado isso de forma falha e pedimos desculpa por isso", declarou. "Aprenderemos com isso e faremos melhor no futuro".

Universa