Topo

Sexo

Sugadores de clitóris: o que toda mulher precisa saber sobre eles

Eles fazem o maior sucesso - Divulgação
Eles fazem o maior sucesso Imagem: Divulgação

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

17/11/2019 04h00

Cada vez mais os sugadores de clitóris vêm conquistando um espaço antes dedicado aos vibradores nas prateleiras e nas plataformas on line das sex shops. E não é para menos, já que a estimulação direta no ponto de prazer feminino ajuda a alcançar orgasmos de maneira mais poderosa. "Como esse órgão tem cerca de 8 mil terminações nervosas, é possível alcançar o clímax mais rápido do que com os vibradores vaginais", diz a ginecologista Thalita Rupolo Praxedes, da clínica Mais Excelência Médica, em São Paulo (SP).

E como usar?

Para tirar o máximo proveito possível desse sex toy é preciso seguir algumas recomendações. Afinal, como a grande maioria dos brinquedos eróticos, existem diversos modelos e, obviamente, possibilidades. "Basicamente basta colocar o sugador posicionado sobre o clitóris, afastando os grandes lábios e sobre a vulva descoberta. Como existem os que somente sugam, os que vibram e sugam, os que fazem movimentos de vaivém, cada um tem de ser usado conforme indicações no próprio produto. Não há um padrão único de uso", comenta Marlon Mattedi, psicólogo especialista em sexualidade da plataforma Sexo Sem Dúvida.

Segundo Marlon, a masturbação com o sugador fica mais confortável se a mulher aplicar um pouco de lubrificante à base de água antes de colocar o brinquedinho para funcionar, medida que evita assaduras e machucados. "O importante é estar tranquila, relaxada e aproveitar o momento! Não há nenhuma posição específica mais apropriada, e sim aquela que pode proporcionar mais prazer à usuária", completa Thalita.

Como a pele que envolve o clitóris é muito fininha deve-se evitar usar o aparelho várias vezes por dia ou numa frequência muito alta se estiver provocando algum tipo de incômodo. "Se até fazer sexo sem parar pode provocar algumas lesões, imagine usar objetos de borracha, silicone ou cyberskin, que são os materiais usados nesses produtos", observa Marlon. "Outro cuidado essencial é higienizar bem o sugador com água e sabonete líquido neutro e secá-lo bem antes de guardar. Caso contrário, o sex toy pode ficar som secreção acumulada e causar corrimento, mudar o pH local e provocar infecções graves, inclusive no canal vaginal", orienta a psicóloga Carla Cecarello, sexóloga consultora do site C-Date e fundadora da ABS (Associação Brasileira de Sexualidade). Ela recomenda ainda não emprestar o sugador para ninguém, tornando-o de uso exclusivo.

Principais dúvidas

Carla chama a atenção para uma característica importante a respeito dos sugadores: embora sua proposta seja imitar os movimentos de sucção do sexo oral, muitos modelos proporcionam sensações mais intensas do que a boca humana porque oferecem vibrações e velocidades diferentes, contínuas e ao mesmo tempo. "Nenhum dedo e nenhuma língua é capaz de fazer igual", diz.

Por isso, é importante não fazer comparações nem alimentar certas expectativas. Para Marlon, porém, ninguém fica viciado em um artigo de sexy shop por causa do produto em si. "O uso compulsivo de um objeto ou acessório como estimulador sexual se dá por outros fatores psicológicos e emocionais. Os objetos não são os culpados. Por isso acredito que existem poucas razões para ficar 'viciada', já que eles não convidam para jantar, não fazem um elogio sincero, não sabem paquerar de forma interessante. Objetos não se apaixonam e não fazem planos", fala o especialista.

Ainda conforme Marlon, a boca humana, quando se domina a técnica, ainda é o melhor estimulador de clitóris conhecido no mundo. "A temperatura e a umidade da boca e os movimentos leves dos lábios e da língua são os diferenciais na hora do estímulo", diz. Para Thalita, também é possível usar o sex toy na relação a dois. "Não há motivos para o parceiro se sentir inseguro. Nosso cérebro trabalha com memórias, uma mulher bem estimulada vai ter uma vivência sexual mais satisfatória", pondera.

Sexo