Topo

Mulher mostra cicatriz da mastectomia em ensaio com marido: "vencemos"

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Aliny Gama

Colaboração para Universa, em Maceió

30/10/2019 08h18

O diagnóstico de câncer de mama para a funcionária pública Joelma Santos Silva, 43, causou uma série de dúvidas sobre o rumo que a vida dela iria tomar. Além de enfrentar o medo da doença, ela temeu como seria a reação do companheiro Valberto Faustino da Silva, 22, após ela perder o seio direito. Joelma chegou a dizer que o marido ficasse à vontade para seguir a vida sem ela. A resposta, porém, foi outra: o casal está junto há três anos e fez um ensaio fotográfico para mostrar a união deles.

Joelma e Silva moram na pequena cidade de Araruna, na Paraíba, e ficaram conhecidos pela superação. Silva usou as redes sociais para mostrar o quanto se orgulha da mulher e que a história de amor deles não foi abalada com o diagnóstico da doença.

Joelma conta que namorava Silva havia um ano quando, em exames de rotina, descobriu que o líquido que saia do seio dela era um dos sinais do câncer de mama, e que passaria por uma mastectomia. Joelma, então, avaliou que Silva não era obrigado a enfrentar o tratamento junto com ela e suas consequências.

"Eu disse pra ele que meu cabelo ia cair e que eu ia ficar sem um seio, que eram muitos problemas e que ele não se sentisse obrigado a ficar comigo. Mas ouvi: 'meu amor, vamos lutar juntos. Se você ficar careca, eu raspo meus cabelos também'. Aquilo foi um alívio e me deu forças para enfrentar tudo", afirma Joelma.

Outubro rosa

Silva aproveitou a campanha Outubro Rosa, que é voltada para a prevenção do câncer de mama no mês de outubro, e fez uma publicação se declarando para a mulher, além de alertar para a importância do apoio às pessoas que fazem tratamento contra a doença.

"Lembra quando você descobriu a doença, chegou pra mim e falou que eu não estaria obrigado a ficar com você e que podia ir viver minha vida? Simplesmente respondi que estou com você até o fim, vamos lutar juntos. E vencemos, graças a Deus. Hoje eu visto rosa em sua homenagem, meu amor, e a todas as mulheres guerreiras", escreveu Silva, destacando que "abraça a causa."

Na imagem, Silva está vestindo uma camisa de cor rosa e beijando o rosto de Joelma. Ela está com um laço rosa alusivo à campanha do Outubro Rosa e segura o outro seio. A maquiagem de Joelma também é na mesma tonalidade de rosa. A publicação recebeu mais de 86 mil reações, 128 mil compartilhamentos por outros perfis e cerca de 7.100 comentários.

Bonita e empoderada

O ensaio fotográfico foi idealizado e executado pela filha de Joelma, Joeliane Santos Bonifácio Viana, 24, que é maquiadora. Ela organizou um espaço em casa para fazer as fotos e produziu a mãe. Joelma conta que ficou receosa se as imagens iriam ficar boas, afinal, ela estaria com o seio amostra, mas ela diz que se sentiu "bonita e empoderada".

"Eu não tive problemas para reconstruir a mama. Eu queria era minha cura, um pedaço do corpo é besteira, mas os médicos estavam preocupados que eu ficasse com depressão. Com apoio que tive da minha família estou aqui muito bem, nunca me faltou fé e amor", destaca Joelma.

Ela conta que segue rigorosamente as orientações médicas com remédios, consultas e exames, que são feitos a cada três meses. "Me cuido e vou regularmente ao médico, tenho de monitorar a cada três meses e até agora só tenho colhido bons resultados", diz.

Encontro a cada 15 dias

Joelma e Silva estão juntos há três anos, mas se conheceram há quatro anos, quando ele passou a frequentar a casa dela por ser amigo de um enteado. O casal tem 21 anos de diferença e Joelma diz que a idade nunca foi problema para eles.

"Fiquei com um pouco de receio pela diferença de idade, moro numa cidade do interior onde as pessoas são muito tradicionais. Mas meus filhos me apoiaram, disseram que o que o importava era a minha felicidade e estamos juntos há três anos", conta Joelma, destacando que mesmo à distância eles se mantêm firmes.

Silva é cortador de cana-de-açúcar e está trabalhando na colheita em um engenho no município de Cruz do Espírito Santo, a 128 km, e eles se veem de 15 em 15 dias. "O sinal de telefone só pega nas propriedades vizinhas, mas ele arruma um jeito de ir e me telefona todos os dias", diz.

"Não é dinheiro ou bens materiais que mantêm duas pessoas juntas e apaixonadas. Mas, pequenos gestos de amor um com o outro", destaca Silva, em outra publicação no Facebook com uma foto dele com a mulher.

Autoestima