Topo

Sexo

Transou, coçou? Saiba o que pode provocar coceira depois do sexo

Claudia Dias

Colaboração para Universa

26/09/2019 04h00

Não adianta: pelo menos em algum momento da vida, toda mulher vai sentir aquela coceirinha chata depois da sessão de sexo. Na maioria das vezes, a sensação desagradável costuma passar tão rapidamente quanto apareceu. Só que, em alguns casos, persiste mais do que o esperado, exigindo visita ao médico.

Isso porque a coceira após a relação sexual não é algo comum, como conta Alexandre Lobel, ginecologista especialista em reprodução humana. "Em algumas situações, é um quadro mais leve que, em geral, melhora no dia seguinte, sem necessidade de medicação. Em outros casos, a coceira é maior e pode estar associada a mais sintomas, como corrimento e odor", diz.

Alexandre Pupo Nogueira, ginecologista membro do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês, observa que a coceira é uma forma de interpretação da dor pelo corpo. "Os neurônios que carregam a sensação de coceira são os mesmos que carregam a sensação de dor", comenta.

A seguir, os especialistas apontam as 5 causas mais prováveis para o incômodo vaginal pós-sexo.

Ferimento

A coceira depois da transa pode acontecer por conta de algum machucado que ocorreu na vagina, durante a relação sexual. A coceira faz parte do processo de reparação da parte afetada e, neste caso, costuma sumir em pouco tempo. Se isso não ocorrer, melhor procurar ajuda médica.

Candidíase

Fungos são a causa das infecções genitais mais comuns e a Candida sp (candidíase) lidera o rol de possiblidades. Além da coceira, que costuma ser intensa,, o quadro também apresenta corrimento esbranquiçado grumoso (tipo leite talhado), vermelhidão na vulva (parte externa) e ardência ao urinar. Neste caso, deve-se procurar imediatamente um ginecologista para tratamento específico. Já para prevenir, recomenda-se o uso de roupas leves (principalmente no calor), calcinha de algodão e evitar biquíni molhado por longos períodos.

Preservativo

Outra possibilidade é alergia ao látex da camisinha. Entretanto, tal ocorrência é bastante rara, mas quando surgir, a alergia acontece imediatamente durante o ato sexual e evolui com inchaço, vermelhidão e irritação vaginal -- que pode ser sentida como coceira. Não resolvendo os sintomas com a troca de marca ou do tipo de preservativo (optando-se pela versão sem látex), é necessário procurar um médico.

Roupa

Além de reação ao preservativo, a coceira também pode ser uma resposta a alguma vestimenta apertada demais ou em contato exagerado com a região íntima. Optar por roupas mais leves, não tão justas, pode resolver o problema. Se houver persistência, pede cuidados indicados por ginecologista.

Secura vaginal

Quando a vagina fica sem lubrificação, a penetração pode causar microtraumas que, consequentemente, levam à dor e coceira leve. Conversar com o parceiro sobre "investir" mais tempo nas preliminares para melhorar a lubrificação natural ou usar lubrificante costuma funcionar. Caso contrário, melhor procurar ajuda médica.

Em todos as situações, evite coçar, pois a unha pode machucar a vulva ainda mais e piorar a situação.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Sexo