Topo

Sexo


Sexo

O que muda no sexo após a cirurgia bariátrica? Veja como se adaptar

Antes e depois da influencer Mariele Francisa da Silva, que passou por cirurgia bariátrica em 2017 - Arquivo pessoal
Antes e depois da influencer Mariele Francisa da Silva, que passou por cirurgia bariátrica em 2017 Imagem: Arquivo pessoal

Christiane Ferreira

Colaboração com Universa

16/08/2019 04h00

Desejada por muitos, a cirurgia bariátrica pode trazer uma mudança significativa na vida sexual. Entre as consequências estão a perda ou o aumento da libido. Além das mudanças hormonais decorrentes da cirurgia, é comum que algumas mulheres se sintam inseguras com o novo corpo.

A endocrinologista Rosália Padovani, doutora em Endocrinologia e Metabologia pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), esclarece que a obesidade acarreta diversas alterações hormonais, como a resistência à insulina, que pode causar a síndrome dos ovários policísticos (SOP), condição que leva à infertilidade. No entanto, à medida que a mulher emagrece, essas alterações melhoram. O lado bom é que, com o emagrecimento, ocorre uma queda de estrogênio, que antes era alto devido à obesidade. Além disso, a quantidade de testosterona em relação ao estrogênio aumenta, e por isso os pacientes acabam apresentando aumento da energia e da libido.

"A perda de peso melhora também a autoestima, a disposição, a qualidade de vida, o controle das comorbidades associadas à obesidade. Consequentemente, as pacientes que passam por esse processo tendem a sentir resultados positivos nas práticas sexuais com melhora significativa da libido", afirma Rosália.

Como há perda de peso logo após a cirurgia, em um primeiro momento algumas mulheres podem ficar insatisfeitas com seu corpo, principalmente por causa da sobra de pele e flacidez geradas pela obesidade, alerta o cirurgião bariátrico Thales Delmondes Galvão.

Uma outra questão que deve ser levada em consideração, segundo a ginecologista Andressa Amorim, é que a partir da redução de peso há uma consequente diminuição de gordura na região da vulva, a parte externa do órgão sexual feminino. "A vulva fica murcha e, nesses casos, é possível realizar uma correção por meio da dermolipectomia vulvar, que consiste na retirada do acúmulo de pele. Outra solução é o preenchimento com ácido hialurônico", afirma a especialista.

Seja qual for o motivo da falta de libido, a vida sexual depende de vários fatores. Por isso, é importante investigar as causas físicas e emocionais. "Não basta apenas prescrever um remédio se às vezes a questão psicológica é o grande problema", afirma a ginecologista.

Fragilidade e divórcio

Quem passou por uma queda na libido foi a influenciadora digital Mariele Francisca da Silva, de 30 anos. Operada em junho de 2017, e com 81 quilos a menos, ela conta que percebeu uma diminuição do desejo sexual logo após a cirurgia. "O médico me alertou que isso poderia acontecer, seja por questões hormonais, falta de vitaminas ou pelo fator psicológico. No início me sentia fragilizada emocionalmente. A gente tem a ilusão de que vai operar e ficará com o corpo maravilhoso, mas quando depara com a flacidez dá uma certa travada na cama", conta Mariele, que era casada na época.

Após seis meses de operada, Mariele se divorciou e conheceu o atual noivo. Foi aí que todas as inseguranças ficaram para trás. "O relacionamento novo deixou tudo mais leve. Somos muito cúmplices desde o início e isso fez com que eu me sentisse à vontade mesmo com a flacidez, pois na época eu não havia feito plástica reparadora", afirma ela.

Mariele também diz que passou a tomar suplementos vitamínicos que a ajudaram a recuperar o desejo. "O que já era bom ficou muito melhor. Deu um gás na minha vida sexual."

A endocrinologista Rosália Padovani explica que pacientes submetidos a cirurgia bariátrica apresentam risco de desenvolver deficiências nutricionais pela limitação na ingestão e também na absorção de nutrientes -- entre eles as vitaminas D, B12, A, E, K, além da tiamina, principalmente entre pessoas que apresentam vômitos.

Temperatura em alta

Se em algumas mulheres o tesão diminui, para outras o aumento do desejo sexual é sentido logo após a bariátrica. Estima-se que a vida sexual dos pacientes bariátricos melhore muito nos primeiros seis meses de cirurgia, segundo a ginecologista Andressa Amorim.

A jornalista Andréa Duarte, de 49 anos, sempre teve uma vida sexual ativa antes da bariátrica, realizada em 2007. Depois da cirurgia, ela viu a libido melhorar. "Percebi que tinha mais vontade, o tesão era maior quando estava com alguém. Mas acredito que isso depende de cada mulher. Tenho uma amiga que se separou do marido por conta da queda da libido, pois não se achava bonita. Eu não tive esse problema, pois mesmo gordinha minha autoestima era elevada", relata a jornalista, que de 140 kg passou para 87 kg.

Em contrapartida, o cirurgião bariátrico Thales Delmondes Galvão faz um alerta ao afirmar que, em alguns casos, pode ocorrer a compulsão sexual, o que não é saudável. "Uma das causas da obesidade é a compulsão, que antes da cirurgia é voltada à alimentação e, após o procedimento, pode passar a ser pelo álcool, drogas, compras ou sexo. Por isso é necessário acompanhamento com psicólogo desde o pré-operatório para identificar esse tipo de paciente e já oferecer o tratamento."

Especialista tira dúvidas sobre cirurgia bariátrica

Band Entretenimento