Topo

Advogada de supostas vítimas de Epstein quer ouvir depoimento do príncipe Andrew

Príncipe Andrew vive momento turbulento - Lillian Suwanrumpha/AFP
Príncipe Andrew vive momento turbulento Imagem: Lillian Suwanrumpha/AFP

Em Londres

21/11/2019 08h26

A advogada de supostas vítimas de Jeffrey Epstein, Lisa Bloom, deseja que o príncipe britânico Andrew fale sobre seus vínculos com o empresário americano, acusado de explorar sexualmente menores de idade, antes de cometer suicídio na prisão.

O príncipe Andrew anunciou ontem sua retirada da vida pública após o escândalo provocado por sua amizade com Epstein. O segundo filho da rainha Elizabeth II foi acusado de manter relações com uma jovem de 17 anos, que supostamente foi apresentada pelo empresário, o que o príncipe nega.

Uma entrevista concedida pelo príncipe Andrew há alguns dias, exibida na TV no fim de semana e considerada catastrófica por analistas, precipitou a decisão, que significa a crise mais grave da família real britânica em décadas.

"Acreditamos que ninguém está acima da lei e que toda pessoa deve responder a perguntas se tem informações pertinentes. E claramente ele (o príncipe Andrew) tem informações pertinentes", declarou Lisa Bloom à BBC Radio 4.

"Sabemos que o príncipe Andrew teve vários contatos com Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell (acusada de "recrutar" as vítimas) e pensamos que deveria falar com a polícia e com os advogados das vítimas, como eu", acrescentou Bloom, que representa cinco supostas vítimas de Epstein.

Bloom fez um apelo aos funcionários que trabalham com o príncipe para que forneçam informações e provas, como e-mails, calendários e agendas de viagem.

No comunicado de ontem, Andrew afirmou estar "totalmente disposto a colaborar com a justiça em qualquer investigação se for necessário".

O príncipe, que foi criticado na entrevista à TV pela falta de empatia com as vítimas e por não ter questionado sua amizade com Epstein, afirmou "lamentar sem rodeios a relação errônea com Jeffrey Epstein" e expressou "compaixão" com as vítimas.

A advogada destacou a diferença entre o comunicado, "que provavelmente recebeu ajuda para escrever", e a entrevista exibida no sábado pela BBC, "na qual durante uma hora não mostrou a mínima empatia com as vítimas e não teve nenhuma credibilidade em suas respostas".

O jornal Daily Mail afirma nesta hoje que o príncipe Andrew se tornou o "pária" da família real. Outros jornais citam sua "vergonha" e humilhação após o anúncio de sua aposentadoria da vida pública.

Violência contra a mulher