PUBLICIDADE

Topo

Ana Paula Xongani

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Além de uma lista de metas, que tal fazer uma pra valorizar o que realizou?

Mirel Kipioro/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Mirel Kipioro/Getty Images/iStockphoto
Conteúdo exclusivo para assinantes
Ana Paula Xongani

Ana Paula Xongani é multiempresária: no Ateliê Xongani, de moda afro-brasileira, e também na empresa que leve o seu nome, de criação de conteúdo. Apresenta o programa Se Essa Roupa Fosse Minha, no GNT, sobre moda consciente. Fala com leveza e responsabilidade sobre temas sempre importantes para que todo mundo junto construa um mundo mais justo e acolhedor para todos, especialmente para as mulheres pretas. Ativismo afetivo, como costuma dizer.

Colunista de Universa

31/12/2021 04h00

Chegamos então à última coluna de 2021, este ano complexo, hein? Um ano ainda marcado pelo atravessamento da pandemia, um ano em que sobreviver foi a maior missão para tantas pessoas. Um ano em que a fome, o desemprego e muitas incertezas voltaram a atingir muita gente. Todas estas preocupações geram ansiedade, uma noção de tempo diferente. Tenho a sensação que o ano passou, que ele aconteceu e a gente não sentiu muito.

A gente costuma sempre fazer uma lista dos planos e projetos para o próximo ano. Meu convite agora é outro: fazer uma lista de tudo o que você fez em 2021. Listar, nomear mesmo, porque a gente se preocupa muito em fazer a lista do que a gente quer, mas não uma lista do que a gente conseguiu realizar.

Então, que tal nomear as coisas que fizemos para que esse ano acontecesse? Puxar pela memória, lembrar e anotar o que a gente "não viu que aconteceu", não reparou, não notou.

Essa coluna é para mim, para você, para pessoas que se cobram um montão. Sim, eu sou dessas, sabe? Eu faço várias listas no começo da semana de coisas que eu preciso cumprir, aí eu tenho minhas listas diárias, semanais e mensais. E essa época do ano, a gente costuma o quê? Fazer listas do que queremos realizar no ano novo, certo? Metas, desejos, sonhos.

Se assim como eu, você é dessas pessoas que querem proatividade, resultado, a gente acaba se cobrando pra caramba. Quer me ver dormir feliz? É quando eu termino uma lista no final do dia.

Mas, em algum momento da minha vida, alguém me falou: ''você já fez uma lista das coisas que você já realizou?''. Não, nunca. Nunca tinha feito.

Pois meu pedido para você hoje, nesta última coluna do ano é: FAÇA!

Eu comecei, diariamente, a fazer uma lista das coisas que eu realizei, principalmente para que eu enxergasse e materializasse as coisas que eu fiz e que deram certo, ou deram errado, mas que eu fiz. Isso não vale só para o seu dia, mas para sua semana e principalmente para sua vida.

Quando a gente vai começando a envelhecer, batendo ali nos 30, 40, tem muita gente que pensa ''putz, eu não tenho nada, não sou nada, não fiz nada''. Mas e se a gente parasse para olhar as coisas que a gente realizou, teríamos tanta angústia e ansiedade? Será que isso nos ajudaria a ter menos?

Isso sem olhar a lista do amiguinho, tá bem? Tem que ser só sua lista, tá bom?

Muitas vezes, e isso é muito importante, eu percebo que não realizei a lista inicial que fiz, que projetei, mas fiz mais um monte de coisas que eu nem tinha lembrado de pôr na lista, e que houve dedicação de tempo, foi legal e teve sim resultado bacana, entrega e tudo o mais. ''Caraca, eu arrasei'', saca?

Estou falando de um exercício prático mesmo, pega um caderno e faz, algum aplicativo, bloco de notas, word, o que for. Escreva tudo o que você realizou.

Vale muito pra você e seu trabalho, vale muito pra você que é mãe e que tem uma rotina que é dominada pelos imprevistos de uma casa e uma família, vale muito pra você que realiza muitas coisas e vale muito, principalmente pra nós, mulheres negras, que fazemos e temos que lidar com tantas coisas e nem que um dos itens dessa lista seja que você, por 10 minutos, foi ao banheiro, saiu pra dar uma volta, ficou a mais na cama, seja pra respirar, pra entender o que está acontecendo, elaborar seus sentimentos e suas sensações. Coloque as coisas nessa lista porque isso é tão importante quanto todas as outras atividades. Tá bom?

Fazer uma autorreflexão, um autoagradecimento, para além de agradecer as pessoas que acreditamos que nos guiaram ou as pessoas que estão ao nosso redor. O convite é pra gente fazer uma lista das coisas que nós mesmas realizamos e, assim, exercitarmos a capacidade de identificá-las, de reconhecê-las e, assim, celebrá-las. Comemorar o fato de estarmos vivos e com a possibilidade de termos feito tudo o que fizemos e de, sim, no próximo anos, fazermos ainda mais.

Se quiser deixar aqui nos comentários e compartilhar sua lista, eu vou adorar. Ou então, deixa aqui nos comentários o que você acha disso tudo e manda essa coluna para aquela pessoa doida por listas que você conhece e fala pra ela acrescentar na lista de listas, a lista de realizações.

E que isso se torne um hábito. É o meu desejo para você!